vendredi 10 octobre 2014

Lançamento em Porto Alegre


2º Prêmio Literário “Fúlvia Tessarolo”





Regulamento - 2014



Fúlvia Tessarolo foi a primeira professora na Escola de Língua e Cultura da Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira de São José do Rio Preto “Amici d’ Italia”. Nasceu em 28/08/1917 e faleceu em 19/02/2011. Em sua homenagem foi instituído o Prêmio Literário “Fúlvia Tessarolo”, iniciativa da Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira de São José do Rio Preto “Amici d’ Italia”, em parceria com a Agência Consular de Itália em São José do Rio Preto e a Academia Rio-pretense de Letras e Cultura.
Seus objetivos são resgatar a escrita de cartas e preservar este meio de comunicação. Largamente substituídas por mensagens velozes, possibilitadas pelo uso da moderna tecnologia veiculada pela internet, as cartas escritas a mão, com canetas tinteiro e mais modernamente esferográficas, perderam seu sentido, caindo em total desuso. Foi, porém, a prática de cartas – traduzidas do italiano ou passadas para essa língua – que marcou a vida de Dona Fúlvia que, nas décadas de 70 e 80 ajudou tantas pessoas a terem notícias de parentes.
O prêmio visa ressaltar:
1)      A originalidade do assunto abordado;
2)      A criatividade da produção textual e
3)      A qualidade literária do texto produzido.

Dos participantes

Art. 1º - Poderão participar de forma individual todos os brasileiros comprovados acima de 16 (dezesseis) anos com uma só carta escrita em português por inscrição.

Das inscrições

Art. 2º - As inscrições deverão ser feitas de 28/08 a 15/10/2014
           § 1º - pessoalmente na sede da Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira de São José do Rio Preto “Amici d’ Italia”, localizada na Rua Floriano Peixoto, nº 3130 - Santos Dumont, São José do Rio Preto /SP, das 08 às 12h e  das 14 às 20h de 2ª a 6ª feira e das 8 às 12h aos sábados;
          § 2º por correio, valendo para tanto a data do carimbo postal com destinatário subscritado para
Sociedade Cultural Italo-Brasileira “Amici d´Italia”
Prêmio Literário “Fúlvia Tessarolo”
Rua Floriano Peixoto, 3130 – Santos Dumont
15020-010 – São José do Rio Preto/SP

         § 3º - Pela internet, ao endereço amici.italia@terra.com.br contendo o assunto: Prêmio Literário “Fúlvia Tessarolo” e contendo em anexo todos os documentos relacionados no artigo seguinte;

Art. 3º - A inscrição será efetivada mediante a entrega de um envelope contendo:
a)      4 vias de um texto de tema livre em forma de carta e não excedente a 2(duas) laudas digitadas em Times New Roman, corpo 12, espaço simples, margem de 4cm à esquerda e 2cm à direita assinada com pseudônimo;
b)      Um CD com o arquivo do texto a concorrer;
c)      Um envelope menor lacrado, contendo a ficha de identificação do(a) participante, contido ao final deste Regulamento. Por fora deste envelope deve ser escrito: Prêmio Literário “Fúlvia Tessarolo” 2014 e o pseudônimo utilizado;
d)      Pagamento de inscrição de R$20,00 (vinte reais) para sócios da Entidade ou R$40,00 (quarenta reais) para não sócios. Este pagamento pode ser feito pessoalmente, no ato da inscrição ou através de depósito bancário conforme o endereço abaixo, cuja cópia de comprovante será retida. Se feita a inscrição por correio ou por internet deverá ser anexado a referida cópia do comprovante de depósito efetuado em nome de
Sociedade Cultural Italo-Brasileira “Amici d´Italia”
Banco Itaú, agência 0792
conta corrente número 33667-9

Da identificação

Art. 4º - Os textos recebidos serão do conhecimento somente da Secretária e do Presidente da Entidade que, obedecendo rigorosamente à data da chegada, lançarão em livro próprio a inscrição do concorrente e os identificarão  com um número em ordem crescente, por ordem de chegada, repetindo-os no envelope menor lacrado que será guardado em cofre até o dia de sua abertura para a promulgação dos premiados. Os textos dos concorrentes levarão o numero a eles conferidos e não mais se saberá a autoria dos textos até que se chegue à fase de divulgação final dos premiados.

Da desclassificação

Art. 5º - O texto sofrerá pena de desclassificação se apresentar:
a)      Danos materiais e morais a terceiros;
b)      Informações que constituam crime ou contravenção penal;
c)       Ofensa à liberdade e à crença;
d)      Conteúdo discriminativo ou preconceitual de raça, cor, etnia ou origem; 
e)      Propaganda eleitoral;
f)       Indicio de plagio e
g)      Falta de ineditismo;

NOTA: Compreende-se não inédito o texto impresso em jornais, revistas, panfletos e livros ou veiculados pela internet;

Da premiação
Art. 6º - Além de um exemplar da Antologia, a cada um dos 20 (vinte) classificados, serão conferidos os seguintes prêmios:
a)      1º lugar: Medalha de ouro e certificado de participação;
b)      2º lugar: Medalha de prata e certificado de participação;
c)       3º lugar: Medalha de bronze e certificado de participação;
d)      Do 4º ao 10º lugar: Medalha de Menção Honrosa e certificado de participação;
e)      Do 11º ao 20º lugar: Certificado de participação;
Da Seleção e Comissão Julgadora

Art. 7º - A seleção dos textos será de competência exclusiva dos membros nomeados pelo Presidente da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura em número ímpar e a decisão é irrevogável exceto no caso de comprovação de denúncia com base no artigo 5º deste Regulamento;


Do resultado e da premiação

Art. 8º - Será obedecido o seguinte cronograma:
a)      Inscrições de 28/08 a 15/10/14;
b)      Entrega dos textos aos jurados em 20/10/14;
c)       Análise dos textos pelos jurados de 20/10 a 17/11/14;
d)      Entrega das tarefas concluídas à Sociedade promotora em 18/11/14;
e)      Promulgação dos resultados em 29/11/14 e
f)       Premiação em 18/12/15 às 20h em local a ser divulgado;
Art. 9º - Os 20 (vinte) textos selecionados serão publicados em uma antologia  que conterá os textos exatamente como tiverem sido enviados, sem revisão.

Das disposições finais

Art. 10º - Não poderão concorrer funcionários e pessoas ligadas diretamente à Diretoria Executiva, ao Conselho Deliberativo, ao Conselho Fiscal bem como à Academia Rio-pretense de Letras e Cultura;

Art. 11 - A participação no Prêmio Literário “Fúlvia Tessarolo” implica no conhecimento e na aceitação, pelo candidato, de todas as disposições deste regulamento, sendo desclassificados os textos que não atenderem às regras nele contidas;

Art. 12 - Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Organizadora composta pelo Presidente, Vice- Presidente, Diretores Culturais da Sociedade promotora e pelo Presidente da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura.


São José do Rio Preto, 25 de Agosto de 2014

CARTA ABERTA DE UMA NORTISTA PARA OS SULISTAS

por Fabiana Agra*

Meus irmãos sulistas – sim, queiram vocês ou não, somos irmãos, somos filhos de uma nação chamada Brasil, que vem sendo construída há 514 anos – como nortista de nascimento e por convicção, sinto-me obrigada a escrever para vocês após os últimos acontecimentos, em que vimos reacender a mais vil xenofobia endereçada a nós, do Norte e do Nordeste, devido os resultados do primeiro turno das Eleições 2014.
Em primeiro lugar, meus irmãos, não somos nem melhores nem piores do que vocês, somos fruto de um país continental, cheio de diferenças e de contrastes e que, por circunstâncias históricas, nós daqui de cima fomos explorados através de uma colonização vil e de uma política perversa, que retiraram o melhor de nós, que foi usufruído por vocês; sem contar que houve uma imigração planejada para os estados do Sul e Sudeste, onde vocês tiveram a oportunidade de desenvolver-se de uma forma bem mais organizada.
Sim, nós daqui de cima já passamos fome, já fomos muito ignorantes, uma massa de milhões de analfabetos, que vivia das esmolas que os governos anteriores vez por outra mandavam, governantes esses que nunca se importaram em preparar o nosso povo para conviver com as intempéries do clima e nem de diminuir o abismo social em que vivíamos.
Somente após 2002, meus irmãos, é que esse quadro começou a mudar e, hoje em dia, o Norte/Nordeste é também uma terra de amplas possibilidades: seu povo está melhorando de vida, a educação chegou através de dezenas ou até mesmo de centenas de estabelecimentos educacionais federais, obras estruturantes estão sendo erguidas e, se os bons ventos continuarem favoráveis para nós, a geração nascida neste novo século estará em pé de igualdade econômica com vocês, que tiveram a “sorte” de receber a maior fatia do bolo até bem pouco tempo atrás.
Meus amigos sulistas, sinceramente eu não entendo o porquê de tanto ódio direcionado a nós. Eu nasci e cresci ouvindo dizer que o Brasil era a terra da gentileza, uma nação de povo amigo e hospitaleiro – quer dizer que tal máxima só se aplica para os gringos que aqui chegam para usufruírem das nossas belezas naturais, do nosso clima e, muitos deles, das nossas mulheres e crianças? Quer dizer que vocês se consideram uma “gente diferenciada” e se acham no direito de tratarem a nós, daqui de cima, como uma “sub-raça”? Eu gostaria muito de ter esses meus questionamentos respondidos de forma coerente.
Outra coisa: vocês estão alardeando, do Oiapoque ao Chuí, que nós, do Norte/Nordeste, não sabemos votar. Ah, é? E o que vocês me dizem da votação esmagadora recebida por Tiririca, Bolsonaro, Feliciano, Coronel Telhada e Delegado Olim? Como vocês explicam esses votos tão conscientes e inteligentes? Quem não sabe mesmo votar, hein? Nós daqui, votamos majoritariamente em Dilma porque somente a partir dos governos de Lula e Dilma a classe mais pobre desse imenso Brasil saiu da linha da miséria, são mais de 40 milhões de pessoas que hoje em dia tem a mesa farta, roupas compradas com o seu próprio dinheiro, e milhares de pessoas que estão tendo a oportunidade de estudar, de viajar, de trocar experiências… Eu votei e votarei em Dilma, meus amigos sulistas, porque, entre outros avanços, o Brasil não é mais devedor do FMI – pelo contrário, nosso país agora empresta dinheiro -, e caso vocês ainda não saibam, o Brasil saiu do mapa da fome, algo que somente 35 países do mundo foram capazes de realizar.
Pois é, meus irmãos. Eu continuo sem entender o motivo de tanto ódio da parte de vocês – será o stress dessa vida caótica? Pode ser. Então, para acabarmos de vez com essa coisa horrível, chamada “cultura do ódio”, da minha parte eu perdoo as ofensas gratuitas que recebi nos últimos dias e convido-os a nos visitar. Venham para cá passar uns dias, garanto a vocês que serão muito bem recebidos! Venham para cá que nós daqui faremos questão de mostrar para vocês o nosso lugar, a nossa gente, a nossa gastronomia. Vocês irão perceber que o Norte/Nordeste é um lugar repleto de encantos e com um povo que sempre foi receptivo – mas que, agora, além de receber bem, também está tendo as mesmas oportunidades que vocês sempre tiveram.
Mas caso vocês não possam dar uma esticadinha até aqui, há outras formas de conhecer a nós, nortistas: basta pegarem uma das milhares de obras escritas por um de nós; vocês irão deliciar-se com os livros de Jorge Amado, Rachel de Queiros, Ariano Suassuna, Graciliano Ramos, João Cabral de Melo Neto, Ferreira Gullar… E se não gostam muito de ler, que tal ouvir uma boa música daqui dessas bandas? Temos de todos os estilos, de Zé Ramalho, Raul Seixas, Alceu, Djavan, Gil, Caetano, Bethânia, Fagner, a Zeca Baleiro, Ivete, Pitty, Herbert Viana, Chico César, Elba…
Finalmente, sem querer aprofundar-me na política, creio que já justifiquei meu voto para vocês – apesar de desnecessário, faço questão. Já vocês, meus irmãos, sintam-se à vontade para elegerem quem vocês bem entenderem, o nome disso é democracia. Infelizmente, a escolha de vocês, caso não seja a melhor, refletirá em todo o país que, até o momento, está tomando um rumo certo e confiável.
Ah, ia esquecendo de uma coisa: nós daqui temos a maior admiração pelos jumentos, animais inteligentes e que desde o início da colonização, foram companhia de todos os desbravadores dessa terra. Portanto, eu particularmente, não me sinto ofendida em ser chamada de burra, de jumenta, de maneira alguma. Fiquem à vontade.
É isso, meus amigos do Sudeste/Sul. A nossa bandeira é uma só, e o nosso pavilhão verde-e-amarelo não pode agasalhar esse tipo de ódio pela sua própria gente nem por povo nenhum do planeta! Vamos deixar de propagar essa raiva gratuita, que só faz diminuir moral e eticamente quem a espalha. Vamos sim, ajudar a construir a grande nação que merecemos! Quem se habilita?

* Fabiana Agra é advogada, jornalista, escritora e paraibana com muito orgulho.

VIII Festival da BRAVIO (Associação Brasiliense de Violão)

A BRAVIO (Associação Brasiliense de Violão) convida a todos para seu VIII Festival. Receberemos apresentações de músicos brasileiros e estrangeiros, numa grande celebração do mais popular instrumento do mundo. 

As apresentações serão no SESC 504 Sul, de sexta a domingo. Sexta e sábado as apresentações serão às 20:00 e no domingo sera às 19:00. Os ingressos serão a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). 

Na sexta, receberemos o duo Euterpe, com Helvis Costa e Fernando Machado. Os violonistas de Goiânia são mestres ou pós-graduandos em música, e consolidam uma parceria com a GOVIO (Associação Goiana de Violão).

Sábado sobe ao palco o argentino radicado em Florianópolis Marcos Pablo Dalmácio. Compositor de música contemporânea e pesquisador da música do século XIX, inclusive tocando em réplicas de violão do passado, Marcos Dalmácio une o presente ao passado.

Domingo encerra o festival Vitor Noah, jovem talento que nos últimos meses têm sido premiado em diversos concursos no Brasil, Espanha e Alemanha, entre eles o VII Concurso da BRAVIO.

SERVIÇO
VIII Festival da BRAVIO
SESC Estação 504 Sul
Ingressos a R$ 20 e R$ 10
Sexta, 20:00 - Duo Euterpe
Sábado, 20:00 - Marcos Pablo Dalmácio
Domingo, 19:00 - Vitor Noah


Contatos: Alvaro Henrique (9977.0535) e Maurízio Martins (8529.8882)

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...