mardi 23 septembre 2014

OFICINA VARAL DO BRASIL: POESIA SUBLIMINAR

Oficina realizada no Grupo do Varal do Brasil no Facebook.
Poesia subliminar, tema sugerido e organizado por Ly Sabas.




Duas novas

Duas forças nasceram
Novas e gigantescas,
Cidades inteiras de amor em mim

Jacqueline Aisenman

*****************************************************************************


Ly Sabas

Duas novas / Emoções sem fim

Duas luas já se passaram
Forças de que não supunha
Nasceram em cada minuto de minha busca
Novas emoções afugentaram a angustia
E tudo se transformou em
Gigantescas ondas de sentimentos
Cidades sem fim percorri carregando tua semente
Inteiras! Tantas vezes gritei segurando o ventre
De tanto acreditar em nós e
Amor jurar a cada passo,
Em mim ficou gravada a certeza de ser sem fim.

****

Ana Rosa Santana

 Duas Novas/Duas almas

Duas almas se encontram
Forças conspiram na eternidade
Nasceram para viver a verdade
Novas estradas se bifurcam
E nos conduzem à liberdade
Gigantescas luas o caminho iluminam,
Cidades transbordando de felicidade
Inteiras, repletas de amor e amizade
De noites que em luz se transformam
Amor, sentimentos intensos num só corpo determinam
Em mim, pobre mortal, lento morrer , desejo que revive, delírio, sonho, doce realidade.

****



Sandra Nascimento

Duas Novas / Uma vida

Duas oportunidades únicas
Forças que se materializam
Nasceram para viver este único dia
Novas energias envolveram o ar
E assim neste momento estou completa
Gigantescas são as vontades de compreender e aceitar
Cidades passagens, caminhos, humanidades
Inteiras estão as histórias
De longe, de perto, no mais e agora
Amor é a resposta que se faz
Em mim em você, aqui e em todo lugar

****

Marilu R F Queiroz

Duas novas / partes

Duas partes de mim se desdobram...
Forças desconexas, incomensuráveis
Nasceram da nossa vontade de ser,
Novas essências, experiências, essenciais.
E quer dizer tão somente linguagens,
Gigantescas e incontestáveis,
Cidades, sinônimos de mentiras e medo
Inteiras as meias partes perfazem o mundo
De atitudes repletas de nostalgia, desamor...
Amor que preenche o espaço que existe
Em mim que sou eu e você somente...semente!

****

Jacqueline Bulos Aisenman

 Duas novas / Partes de mim

Duas partes indistintas de mim
Forças interiores
Nasceram e desabrocharam...
Novas perspectivas surgiram
E antigos medos despareceram...
Gigantescas partes tão distintas de mim
Cidades vizinhas e tão diferentes
Inteiras, pedaços, coisas assim...
De dentro, bem dentro, lá dentro de mim
Amor, raiva, desejo, a plenitude de existir
Em mim.
****
Marilu R F Queiroz

Duas novas / Faces

Duas faces opostas demonstram
Forças que oprimem, reprimem...
Nasceram para expor ao mundo,
Novas maneiras de viver, deixar de ser...
E depois mover com as próprias mãos,
Gigantescas peças que formam
Cidades desconexas, crescidas,
Inteiras num só lugar.
De ações reprimidas, denotam, provocam
Amor sem rosto, nem propósito, nascido
Em mim, o oposto das duas faces.

****

Jacqueline Bulos Aisenman

Duas novas / Tentações

Duas tentações surgiram
Forças estranhas
Nasceram em minhas entranhas:
Novas agonias, desejos inacabados
E sonhos ainda irrealizados!
Gigantescas tentações!
Cidades de impulsos desconhecidos
Inteiras vontades de ter o que não sei se poderia ser meu...
De ser o que não sei se poderia ser eu...
Amor ? Talvez... mas muito mais paixão
Em mim a chama acesa... alucinação!

****


Flavia Assaife

Duas Novas

Duas mentes despontam
Forças distintas em mutação
Nasceram de minha imaginação
Novas em criação
E fervilhando
Gigantescas ideias
Cidades em inspiração
Inteiras de sonho
De literatura
Amor em conjuntura
Em mim pespontam
****
Gladis Deble

 Duas novas

Duas mãos que se arredondam
Forças unidas em torno dos seios
Nasceram depois de nós
Novas extensões dos corpos
E do ventre que avolumou-se
Gigantescas esperanças brotaram
Cidades de ferro, vidro e cimento
Inteiras no espaço são redes
De um alpendre, a boca
Amor a degustar dias e noites
Em mim a fonte para tuas sedes.

****
Flavia Assaife

Duas novas

Duas páginas de mim mesma
Forças que se escondem
Nasceram de perseverança e determinação
Novas formas de enxergar a vida
E perceber sua beleza
Gigantescas grandezas de ensinamentos
Cidades em transformação
Inteiras em suas complementariedades
De seriedade e amenidades
Amor em profusão
Em mim pura felicidade

****

Isabel Vargas

Duas novas / Sensações

Duas sensações muito fortes ou,
Forças avassaladoras incontroláveis
Nasceram em meu coração de mãe.
Novas manifestações amorosas
E conhecidas nesta nova condição.
Gigantescas conexões interiores com este ser
Cidades inteiras de novas trilhas amorosas.
Inteiras ligações de amor e proteção
Desde que o tive pela primeira vez comigo.
 Amor intenso, incondicional, eterno que 
Em mim permanecerá por toda eternidade
****
Isabel Vargas

 Duas novas / Faces

Duas faces distintas,
Forças do amor e da dor
Nasceram em mim.
Novas emoções intensas
E assustadores para alguém contido.
Gigantescas forças em conflito
Cidades inteiras a serem descobertas.
Inteiras estradas opostas.
Desde que ele foi embora.
Amor que se transformou dor.
Em mim o pranto se instalou.

****




Benilda Caldeira Rocha

Duas novas / Emoções

Duas oportunidades
Forças que brotam
Nasceram sem que percebessem.
Novas esperanças
E novas figuras
Gigantes caricaturas nas
Cidades enfeitadas e ruas
Inteiras iluminadas cheias
De vibração
amor e alegria, mas,
Em mim, não é Carnaval.

****

Marilu R F Queiroz

Duas novas /Preposições

Duas preposições propositais,
Forças antagônicas, cósmicas...
Nasceram do amor à vida.
Novas questões emocionais
E pensadas comoções eclodiram
Gigantescas figuras celestiais.
Cidades planejadas por poetas...
Inteiras projeções coloquiais,
De composições musicais.
Amor por letras se impregnaram
Em mim, desfalecida arte!
****
Marilu R F Queiroz

Duas novas maneiras

Duas eclosões emocionais...
Forças incontáveis, incontestáveis
Nasceram de ações involuntárias.
Novas maneiras de ser
E debater, desgrudar
Gigantescas malhas intencionais.
Cidades lotadas de alegorias
Inteiras se desfazem
De antagonistas agonizantes...
Amor que polariza ideias
Em mim, simples fio condutor.

****
Norália  Castro
Duas novas
Duas belezas, descobri.
Forças impulsionadas pelo sexo e casa.
Nasceram dentro da alma solitária.
Novas nuvens, belas, se fixaram.
E aprendi a beleza dos voos.
Gigantescas emoções do novo nas
Cidades sobrevoadas :
Inteiras mestras essas forças.
De tanto pulsar o coração em
Amor, encontrei novas verdades
Em mim, peregrina deste longo caminhar.

****

Norália Castro

Duas novas

Duas árvores me deram
Forças das sombras e luzes.
Nasceram iluminadas
Novas caminhadas permitidas.
E tornei-me igual a elas:
Gigantescas em sombras e
Cidades cheias de luminárias
Inteiras em passeios solenes
De descobertas a redescobrir
Amor contínuo aquecendo
Em mim o coração em disparadas.
****
Neyde Bohon

 Duas novas / Vestes de mim

Duas, apenas por mim
Forças que guardei!
Nasceram atrevidas!
Novas ilusões!
E, vaguei pelas ruas por
Gigantescas sombras guardiãs
Cidades, de tempos inigualáveis
Inteiras, eternas serão as lembranças...
De e por saudades
Amor, amar
Em mim, VOCÊ!

****

Benilda Caldeira Rocha

Duas novas /Emoções

Duas almas afins
Forças que se uniram
Nasceram e aí estão
Novas formas “aprender e escrever”
E quebrando a monotonia das
Gigantescas poesias, verdadeiras
Cidades onde reinavam
Inteiras emoções,
De um Tempo com tempo, de
Amor pela Arte deixando
Em mim uma linda rosa dourada

****
Rita Pea

Duas novas

Duas folhas por escrever
Forças para Libertar!
Nasceram em poesia, os barcos
Novas armas me seduzem
E acompanham a navegar
Gigantescas ideias, sonhos além-mar
Cidades sóis e Luar
Inteiras imbuídas, atormentadas
De vento, apatia, solidão
Amor pecado, tentação
Em mim no avesso do meu coração...


****

ENTREGA E RETIRADA DOS LIVROS PARA A IIIª MOSTRA.


A partir dos dia 17 de setembro, os livros poderão ser entregues no Instituto do Livro, à Rua Duque de Caxias nº 322, no Centro Cultural Palace.
Deve ser entregue, até 5 (cinco), unidades de cada título, devidamente embalado, como foram entregues os da Feira do Livro.
Após o término do Evento, cada um, tem até 30 (trinta), dias para retiradas dos exemplares.
Passado esta data, todos os livros que ali restarem, será entendido como doações para as Bibliotecas Pública de nossa cidade.
Obs: A Mostra dos Escritores, não cobra porcentagem dos livros vendidos.


O QUE É A MOSTRA DOS ESCRITORES DE
RIBEIRÃO PRETO E REGIÃO?


Para ajudar mais ainda os nossos escritores, a Ordem dos Velhos Jornalistas, com seu presidente José Carlos Barbosa teve uma maravilhosa e feliz ideia: a criação da Mostra do Livro do Escritor de Ribeirão Preto e Região, que já foi apresentada em 2012 e 2013,  nossa terceira etapa: de 24 a 27 de setembro de 2014, no Centro Cultural Palace de nossa cidade. Esta Mostra,  tem a finalidade de, em mais um único espaço fora da Feira do Livro, um lugar para mais um encontro dos Escritores, onde todos podem vender seus Livros.
Temos uma programação de Debates e Mesas redondas, com diversos assuntos com catedráticos da cidade e região, tentando levar para fora do nosso Rincão, vários nomes de nossos escritores.
Com a colaboração do Centro Cultural Palace, sua diretora Meire Teixeira e equipe, da Fundação Instituto do Livro, seu Superintendente Edvaldo Arantes e Equipe e em parceria com Feira do Livro.
A Iª e a IIª Mostra dos anos anteriores foram de grande sucesso. O trabalho deste ano foi dobrado e a colaboração continua. Estamos trabalhando para que neste ano a IIIª Mostra será melhor.
Contando com a colaboração de todos para que alcancemos o sucesso desejado, deixo os meus sinceros agradecimentos.
José Carlos Barbosa
Vice Presidente da Ordem dos Velhos Jornalistas de Ribeirão Preto.
CONSULTE-NOS a programação;

Contato: Cel: 16  991286729

LUPICÍNIO RODRIGUES

LUPICÍNIO           
  
Por EMANUEL MEDEIROS VIEIRA
Viva  Lupícinio Rodrigues (1914-1974)!

Ele completaria 100 anos em 16 de setembro..
Foi autor de clássicos como “Esses Moços”, “Loucura”, “Nunca”, “Ela Disse-me Assim”, “Felicidade”, “Vingança”, “Volta”, “Se Acaso Você Chegasse”.
Transfigurou a “dor de cotovelo” em arte. Das mais belas.
O pesquisador Rodrigo Faour, autor do livro “História Sexual da MPB” (2006), afirma que “Lupícinio, ao lado de Herivelo Martins (1912-1992), foi um dos pioneiros, um dos fixadores do samba-canção na década de 1940”.
Complementa   Faour:   “E  Com essas músicas machucadas de amor ele munia o repertório de Linda Batista, Francisco Alves, Nelson Gonçalves, Isaura Garcia, Orlando Silva – todos os grandes cantores de rádio gravaram muito o mestre Lupicínio”.
E não só eles, como lembra Chico Castro Jr.
Praticamente, todos os grandes nomes da MPB  pós-bossa nova também gravaram Lupícinio: Paulinho da Viola (“Nervos de Aço”); Maria Bethânia (“Foi Assim, Loucura”), Gilberto Gil (“Esses Moços”), Gal Costa (“Volta”, “Loucura”), Elis Regina “Cadeira Vazia”), Caetano Veloso (“Felicidade”).
Até mesmo o vanguardista Arrigo Barnabé, rendeu-se ao gênio de Lupícinio – como lembra um pesquisador –, ao elaborar o show “Caixa de Ódio” (2011).
Como assinala Chico Castro Jr., na sua  Porto Alegre natal, de onde pouco saiu em vida, Lupícinio deixou marcas profundas na cidade e em seu povo.
É dele o (belo) hino do Grêmio, seu time de coração.
Então, tio Lupi faria 100 anos.
Suas canções sentidas, passionais, fortes, ficarão para sempre.
Viva Lupícinio Rodrigues!
(E para comemorar, escuto “Felicidade”.)

(Salvador, setembro de 2014)

SHOW: PALAVRA E CANTO (SESC- GOIÂNIA)

 Fé Menina, Márcia Maranhão De Conti, Rubens Jardim - 26 de setembro ( sexta-feira) Horário: 20h. Gênero: MPB

Ingressos: R$ 10 inteira e R$ 5 meia (comerciários e dependentes pagam meia entrada mediante a apresentação da carteira do Sesc atualizada).

Sinopse: O resgate da antiga parceria entre música e poesia é a essência desse espetáculo. O show acontece como um diálogo entre os poemas e as músicas. O tema ‘’amor’’ é isca para os não leitores de poesia, considerando que é assunto universal, capaz de atrair pessoas de todas as idades e classes sociais, e principal fonte de inspiração da maioria das artes. A ênfase do show projeta-se na conexão intertextual, no diálogo entre os poemas e as músicas e os poemas com os próprios poemas, em uma alternância contínua e afinada de textos e canções.
Foto: SHOW: PALAVRA E CANTO (SESC- GOIÂNIA) -- Fé Menina, Márcia Maranhão, Rubens Jardim - 26 de setembro ( sexta-feira) Horário: 20h. Gênero: MPB  Ingressos: R$ 10 inteira e R$ 5 meia (comerciários e dependentes pagam meia entrada mediante a apresentação da carteira do Sesc atualizada).  Sinopse: O resgate da antiga parceria entre música e poesia é a essência desse espetáculo. O show acontece como um diálogo entre os poemas e as músicas. O tema ‘’amor’’ é isca para os não leitores de poesia, considerando que é assunto universal, capaz de atrair pessoas de todas as idades e classes sociais, e principal fonte de inspiração da maioria das artes. A ênfase do show projeta-se na conexão intertextual, ou seja, no diálogo entre os poemas e as músicas e os poemas com os próprios poemas, em uma alternância contínua e afinada de textos e canções.


Convite Olavo Romano


Lançamento de Izabella Pavesi


Lançamento Djanira Felipe de Oliveira


ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...