mardi 18 février 2014

BOM, MUITO BOM! EM NOSSO ESTANDE NO SALON INTERNATIONAL DU LIVRE ET DE LA PRESSE DE GENÈVE! (4)






Visitando Foz do Iguaçu



A cidade tem ares de interior da Argentina e Uruguai, visto que abunda o verde e as quadras muito  largas, projetadas, onde o sol atua intensamente.
O bucólico lugar amanhece mais tarde que Salvador, no entanto o dia teima em não acabar, cujo astro-rei desfruta mais tempo a sua magnitude.
Com a sua peculiar aproximação da Argentina e Paraguai, os dois países são como dois bairros vizinhos.
Não podemos falar de Foz, sem mencionar as Cataratas do Iguaçu, a sua maior atração, sendo uma das novas sete maravilhas do mundo, quem vai não se arrepende, pois não é muito dispendioso e a emoção nos põe à prova, sendo algo praticamente indescritível, magnânimo, sem esquecer do seu principal passeio: Macuco Safari, o mais encantador e completo, em que seguimos pelo parque até um atracadouro com botes potentes, que nos levará até o âmago das grandes cachoeiras, tornando uma belíssima aventura.
Na sua vizinha Puerto Iguazu, detentora da maior parte das Cataratas, o ingresso é mais caro e falta estrutura para o turista.
Como em Buenos Ares, eles usam preços diferenciados por moeda, pagando em real    sai mais caro do que na moeda deles, o mesmo caso serve para dólar ou euro, se não trocarmos pelo peso, vamos sair com o bolso bem mais leve, sentido-nos muito mais lesados.
Contudo quem quer ver os dois lados para ponderar   onde o show da natureza   é mais intenso, tem que atravessar a fronteira.
Na vizinha  Puerto  Iguazu é a mesma coisa, eles arrancam o couro do estrangeiro, cobram tudo mais caro, onde quem não for preparado para gastar, vai ter que dançar muito tango, para ver se arranca algum peso.
Voltando ao mundo do “Real” percebemos que os produtos do lado de cá ainda saem mais baratos, podendo desfrutar da feira de arte dos Três países, um lugar surpreendente, que compramos muitas lembranças interessantes, dos nossos vizinhos e do Brasil.
Não podemos deixar de mencionar a interação dos nossos países vizinhos, pois Foz não é somente beleza natural, é uma grande sala de aula, pois quem visita se diverte, passeia muito e sai com uma boa bagagem cultural para a vida toda.


Marcelo de Oliveira Souza

  
Face: psfronteiras


Corpo sem alma


                                                                               Irene Coimbra
Aproximei-me do caixão fúnebre
e olhei para o rosto de aparência calma
naquele corpo sem alma.

Fiz um esforço
pra ver se a alma ainda estava por ali
mas, apesar do esforço, não a vi.

Sua missão na Terra já havia cumprido,
 e de volta ao Lar Celeste, partido.

Mãos se uniram em oração
e a Deus um pedido de perdão.

O caixão foi lacrado e para o crematório levado.
Um punhado de cinzas restou,
que o vento levou!

...............................................................................................

Reflexão

Por que discutirmos tanto por coisas banais?

Só alegria


ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...