vendredi 7 février 2014

"ESSES HOMENS MARAVILHOSOS" - Lauredaos Madalena's 2014 III Edição



Bom dia gente amiga,

Após o grande sucesso dos Laureados Madalena's I e II Edição ( 2012 -2013), a pedido de amigos e simpatizantes, estaremos realizando no dia 03 de maio na cidade de Genebra juntamente com A VARAL DO BRASIL & O JORNAL SEM FRONTEIRAS (durante um jantar de confraternização e uma bela programação), a III Edição dos Laureados Madalena's 2014 com o título " Esses Homens Maravilhosos".
Você tem algum homem importante em sua vida que deseja homenagear e vê-lo ser condecorado em público ? Entre em contato conosco pelo e-mail:
homensmaravilhosos2014@hotmail.com

Importante :  Madalena’s é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos. Todos os Laureados serão condecorados sem ônus. Sobre o Jantar (entrada, prato principal e sobremesa)  será cobrado 65.- Francos Suíços por pessoa, com pagamento antecipado.

Inscrições e pagamento até dia 30 de março2014.
Lugares Limitados!
Deseja alguma informação ? entre em contato pelo tel: 076 454 87 85 / homensmaravilhosos2014@hotmail.com


Avec mes meilleures salutations
  Lúcia Amélia
Madalena's
c/o Aeberhardt L.
Quai du Haut, 8
2502 Bienne
www.prevencaomadalenas.com
(41) 76 454 87 85

Pássara





"Olhe a vida com olhos de passarinho",
dizia-me uma professora holandesa:
são olhos de novidade, 
E colocou-me em meu lugar de amante da beleza:
-"Você, menina, nasceu  pássara".
Segui , descobrindo o novo.
Sob a grama espessa das mesmices, 
descobri micro-flores muito semelhantes
às maravilhosas da flora em qualquer canto,
 em qualquer jardim, em qualquer campo.
Acompanhei o desenho do invisível vento, 
seguindo seu  movimento.
Em cada folha, vi o desenho impecável
abrindo-se sobre o verde.
Aprendi que ovo é frágil, 
mas a casca fina não o impede
 de guardar a vida, bem precioso...
Ouvi pedras chorando ou cantando
e deslumbrei-me com a magnificência 
dos geodis, partidos em dois, 
sem sua outra banda.
vendido em lojas de Belém do pará.
tanto procurei, que um dia achei
as duas partes de um mesmo estojo.
Guardei uma  e outra dei para o amado.
Quais nós dois, que perdidos em outros tempos,  
um dia nos encontramos.

Pareço delicada, mas sou forte 
e quando me assustam, 
apenas abro as as asas
e voo em direção ao azul absoluto.

Clevane Pessoa de Araújo Lopes 
inspirada no desenho de José David.

Belo Horizonte, 04/02/2014


NOSSO ESTANDE NO SALON DU LIVRE DE GENEVE 2014! 2







Berlim começa em pleno delírio

Por Rui Martins

O filme de abertura do Festival de Berlim é um verdadeiro delírio de Wes Anderson utilizando un tandem – Gustav, o concierge ou mais precisamente o gerente do Grande Hotel Budapeste, vivido pelo ator Ralf Fiennes, e seu fiel servidor, o groom ou lobby boy, Zero Mustafá, interpretado pelo americano Tony Revolori, no papel de um aprendiz indiano.

Gustav conhece e adivinha os desejos de seus hóspedes, todos ricos, num país imaginário dos anos 30 e, por isso, toda a decoração do hotel é fiel à época. Algumas hóspedes dão uma atenção especial a Gustav e uma delas, já idosa, surpreende seus herdeiros ao legar a Gustav uma rara tela renascentista, de valor incalculável. Para evitar que a família esconda o quadro, Gustav o substitue por um quadro de Egon Schiele, que não era valioso na época.

Acusado de ter matado a velha milionária, Gustav é obrigado a deixar o hotel por uma prisão, até participar de um sofisticado plano de fuga, que inclui a utilização de delicioso doces de uma conceituada confeitaria. As aventuras vividas no filme são contadas pelo próprio Gustav, já velho, mas o Hotel tinha perdido sua clientela milionária, vivia às moscas, e pertencia ao Estado comunista.

É constante a presença de militares ZZ numa alusão à ascenção, nos anos 30, do nazismo na Alemanha com sua polícia SS e a suástica assim como à proximidade da Guerra.
Mas tudo isso visto por um texano, como Wes Anderson, que não se esquece de no lugar de perseguições por carros usar moto e trenó na neve. Em síntese, tudo dentro de uma receita própria de Wes Anderson – muita loucura, personagens excêntricos e uma história com lances enigmáticos.

Ao fim do filme, a citação do nome do escritor austríaco Stefan Zweig por ter sido o inspirador. “Esse escritor não é muito conhecido nos EUA, diz Anderson, mas seus livros estão sendo reeditados. Eu li seus livros e especialmente suas memórias inacabadas”. E como um jornalista americano ignorava o escritor, e confessou na entrevista coletiva, é sempre bom relembrar que Stefan Zweig é conhecido, entre os brasileiros pela célebre frase Brasil país do futuro, e que se suicidou em Petrópolis em 1942, ainda durante a Segunda Guerra.


Porém, a admiração de Wes Anderson pelo escritor austríaco não foi a única revelação em Berlim, o realizador afirmou ter sido muito influenciado pelo cinema de Kubrick, do qual também se confessou admirador.

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...