lundi 3 février 2014

EQUIPE VARAL DO BRASIL PARA O SALON INTERNATIONAL DU LIVRE ET DE LA PRESSE DE GENÈVE 2014




Jacqueline Aisenman - Diretora (Coordenação geral)
Paulo Aisenman        - Logística e coordenação
Sabrina Bulos - Secretariado e coordenação
Lúcia Amélia Brulhardt - Assessoria Geral
Erica Cachoeira - Recepção e vendas
Catarina Mastellaro - Recepção e vendas

Apoio





NOVO LIVRO




"BICHOS INTROMETIDOS NA BOCA DO POVO" [TRAVASSOS
PUBLICAÇÕES, 258 pp., Rio de Janeiro, 2013]


É O ÚNICO, HOJE, NA PRAÇA LIVREIRA, DO GÊNERO.

UTILIZANDO-SE APENAS DE BICHOS (AVES, PEIXES, MAMÍFEROS,
ETC.) O LIVRO CONCEITUA TERMOS, EXPRESSÕES IDIOMÁTICAS
E DITOS POPULARES.

POR EX.: PIRANHA - SALGAR O GALO - QUEM NÃO TEM CÃO
CAÇA COM GATO.

É DE PRECINHO PEQUENO E EM EXCELENTE IMPRESSÃO

EM SÍNTESE, É ISTO...



Este livro é um corpus linguístico, composto exclusivamente de termos, expressões e ditos populares, a envolver saliente bicharada, os animais. Aqui figuram inúmeros seres vivos, lá desde os muito ínfimos, em presença física, até àqueles bem grandões, de elevado porte, os paquidermes. Vem a ser uma pesquisa, destinada a todos, que passeia na seara idiomática e pretende realçar-se em uma contribuição, a única na praça livreira, hoje, à fascinante terminologia dos irracionais. No acervo, em verbetes, por meio de rigorosa ordem alfabética, ao longo das seções dos animais, desfilam trezentos e mais bichos, os quais com insistência se intrometem na linguagem dos humanos, donde o título da obra – BICHOS INTROMETIDOS. E mais: NA BOCA DO POVO.

ABRAÇO MUITO CORDIAL,

JOÃO GOMES DA SILVEIRA


AVE DE RAPINA



                                       AVE DE RAPINA
                            EMANUEL MEDEIROS VIEIRA
                            
                            ... “E agora diante do oceano exato e visível, diante do grande mar prosódico, nada sei sobre a travessia. Após tantas viagens, está é a última fronteira que me cabe transpor.”
                                                (LI)
                            A AVE BICA, BICA,
                            FAZ SANGRAR, NÃO LARGA A PELE – PRENDE.
                           (URUBUS ENCHEM LIXÕES
                           COMO ESTERCO GLOBALIZADO)

                           NADAR CONTRA A CORRENTE É PRECISO.
                           HÁ UMA NASCENTE – ÁGUA, ESPERANÇA, E O RIO SEGUE  – 
                           –, ALÉM DE TI, ALÉM DA TUA VIDA E DE TODAS AS
                           OUTRAS.
                           E PARA SEMPRE: O MAR.

                            (Brasília, janeiro de 2014)

Um poema e uma pergunta para voc~e

“Você vive numa ilha ou numa família?”
                                                                                                 Irene Coimbra
Estava eu meditando
quando, de repente, chega a inspiração
e, de chofre, me pergunta:

“Você vive numa ilha ou numa família?”

Pega de surpresa não soube o que responder.

E a pergunta agora está martelando minha mente
de modo insistente.

Vivo eu numa ilha, cercada pela família,
ou será a família que se transformou em ilha?

............................................................................................

Me diga, como responderia a essa pergunta?

“Você vive numa ilha ou numa família?”


* * * * *

Dia Internacional da Mulher


ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...