samedi 7 juin 2014

Cafezinho



Penso que custe muito, especialmente às mães, que carregam consigo a responsabilidade íntima, desde a geração ao nascimento. Mormente, no mundo da informação rápida e democratizada, daquele primeiro choro respirar. Onde o novo humano apresenta-se. Inicia-se o custoso amor da amamentação e zelo, ação que nutre o conceito criador/criatura, tutela candura que formará para o bem ou para o mal, o novo racional. Razão daquele animalzinho frágil... Mãe é poesia da prosa, guia da cria! Rosa da rosa... Educa entrosa. Certo entrosamento seja inicial alicerce para o equilíbrio emocional, controlador do Id freudiano. Talvez mistério que encontramos em Max Planck: A ciência não pode resolver o mistério final da natureza. E isso porque, em última análise, nós mesmos somos parte da natureza e, portanto, parte do mistério que estamos tentando resolver.

Vivemos um tempo de mudanças, anarquias e andanças, linchamentos e matanças. Mentiras bem contadas que fazem vidas cortadas. Então pergunto às mães de tais diretrizes, de que filme são atrizes? Conluios políticos, escândalos sucessivos, até símbolos matrizes. Onde o vazio faz da até banana simbólica, certo que por nobre causa, o fim do racismo. Mas já que jogar algo faz moda, por que não um livro? Melhor que a banana, pois que ao mais de alimentar, faria pensar...

Pensando agora em reverso da moeda. Hoje instalando emblemática alça de apoio, para que minha mãezinha – aos 70 anos – possa equilibrar-se durante o banho... Melhor explicando emblemática, pois que significa presente além de amor recíproco ou cuidados motrizes necessários, diz respeito conquistado.

Assim com cafezinho (cortesia), Copa e tudo mais, Brasil caminha desesperadamente para uma jogada pela direita – ainda invisível – necessária, como na Europa, afinal o mundo já deu pérolas demais aos porcos... Anestesia de propostas indecentes, como a que ouvi dum amigo lá do sindicato, quinta próxima passada, via telefone: Tenho uma boa notícia, lembra-se daquela ação trabalhista ganha que já tem 25 anos e não foi paga a vocês? Pois é a empresa (governo) ofereceu novamente acordo e faremos uma assembleia para aprová-lo! Estão oferecendo 10% do valor em que foram condenados... Treta pagando conta pela gorjeta. Como bem diz o Arnaldo Bloch: “C’est Paris” ou pra chorar?

José Carlos Paiva Bruno

OABRJ 73304

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...