lundi 17 février 2014

Os premios do Festival Internacional de Cinema de Berlim

Urso de Ouro – Bai Ri Yan Huo, de Diao Yinan

Grande Prêmio do Júri – O Grande Hotel Budapeste, de Wes Andersen

Prêmio Alfred Bauer – Amar, Beber e Cantar, de Alain Resnais

Melhor diretor – Richard Linklater, do filme Boyhood

Melhor atriz - Haru Kuroki, no filme Little House

Melhor ator – Liao Fan, no filme Bai Ri Yan Huo

Melhor roteiro – Caminho da Cruz, de D e A Brueggemann

Prêmio Especial de melhor contribuição artística- Tui Na,


Massage de Cegos, de Lou Ye


Por Rui Martins

Berlim – Metade dos premios para o cinema chinês

Simplesmente impressionante: quatro dos premios da competição internacional do Festival de Cinema de Berlim, ou seja a metade dos premios, foram para filmes de realizadores chineses. Premios justos, pois a grande parte dos filmes ocidentais apresentados, quase todos ligados a problemas de família, não possuíam qualidade superior.

Nunca houve tantos filmes com crianças e adolescentes, mostrando mães ausentes, pai exigente mas desinteressado, mãe autoritária e religiosa fanática. Inclusive no filme brasileiro havia um menino que se sentia abandonado pelo irmão.

Mostrou-se também muito sentimentalismo e, talvez (por enquanto simples impressão), estejam surgindo os primeiros sintomas de saturação em termos de violência e sexo. Embora tenha sido o Festival do filme Ninfomaníaca, de Lars von Trier, os bons filmes de Berlim se mostraram muito recatados com uma evidente diminuição de cenas de cama e de brutalidades.

Confirmando nossa crítica, o filme brasileiro não teve boa acolhida junto à crítica e ao público. Ficou a impressão do Festival ter errado ao colocar Praia do Futuro, de Karim Ainouz, na competição, pois o outro filme brasileiro Hoje eu Quero Voltar Sozinho (também com adolescentes e homossexualismo) conseguiu um premio da crítica independente e o Premio do Público da mostra Panorama.

Embora melhor que Praia do Futuro, o filme argentino La Tercera Orilla também não fazia parte dos filmes premiáveis. Porém, a situação não foi melhor para os filmes alemães. Um sobre o triângulo amoroso na vida do poeta Schiller e outro sobre a participação de soldados alemães no Afganistão, ambos ignorados nos premios.

Os chineses chegaram com três filmes, dois deles foram premiados e levaram inclusive os Ursos de Melhor Ator e Melhor Atriz, perfeitamente merecidos.O Urso de Ouro foi para Carvão Preto e Gelo Fino ( ou Frágil, veremos com que título será distribuído no Brasil), de Diao Yinan.

É um filme policial, no qual, como nos filmes ocidentais desse gênero, existe um detetive, mau cotado entre os policiais, mas capaz de desvendar crimes misteriosos. É o caso de Zhang, um chinês bem típico de bigode, vivido pelo ator Liao Fan (premiado como melhor ator). O caso começa com pedaços e membros do corpo humano encontrados nos vagões de trens de carga, transportadores de carvão. A solução desses crime e de outro, surge numa pista de patinação no gelo, envolvendo a pessoa menos suspeita.


Os chineses chegaram com quatro filmes, três deles foram premiados e levaram inclusive os Ursos de Melhor Ator e Melhor Atriz, perfeitamente merecidos.O Urso de Ouro foi para Carvão Preto e Gelo Fino ( ou Frágil, veremos com que título será distribuído no Brasil), de Diao Yinan.

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...