mardi 27 août 2013

VARAL ANTOLÓGICO 4: INSCRIÇÕES ABERTAS!


Uma Canção para Carla

O Cine ABI, em parceria com o Cineclube da Casa da América Latina,

Apresentam:


Uma Canção para Carla
 

Direção de Ken Loach
1996
Ficção - 127 min.
 
29 de agosto
quinta-feira
a partir das 18h30


na ABI
(Associação Brasileira de Imprensa)
Rua Araújo Porto Alegre, 71 - 7° andar
Centro (próx. ao metrô Cinelândia)
    
Sinopse: "Uma Canção Para Carla" conta uma história de amor em meio a tempos sombrios, de guerra e violência – no caso, a luta entre os revolucionários sandinistas e os “contras” apoiados pela CIA, na Nicarágua dos anos 80. Ao relatar o encontro de um motorista de ônibus escocês e uma refugiada nicaraguense, o diretor inglês Ken Loach demonstra que cada gesto de generosidade de uma pessoa comum serve para melhorar um pouco o mundo. Ou, no mínimo, para que ele fique menos pior.


Após a exibição do filme, haverá debate. 
Serão concedidos certificados aos participantes.

Os 25 primeiros que chegarem terão direito a pipoca e guaraná grátis!
 
 
cortesia: Sindipetro-RJ 
apoio: ABI Associação Brasileira de Imprensa 
realização: Casa da América Latina 

         

Visite a nossa página!
http://www.casadaamericalatina.org.br/
Caso não queira permanecer em nossa lista, basta devolver-nos esta mensagem.

ACERCA DE MISTÉRIOS DA POESIA



GERMANO MACHADO

Existe um mistério qualquer na poesia
Que é impenetrável para o não eleito.
Ela foge de quem procura o verso bem feito
E se entrega ao poeta que sabe seu dia.

A poesia não mede metro nem rima
Não pede camisa de força nem cadeia.
Sua sina é unir, qual fogo que incendeia
Um ser humano a outro ser e os aproxima.

Ela foge de quem é metido a poeta
Mas não tem paciência nem sabe esperar
O melhor momento para alcançar a meta.

Sim, se entrega ela ao que sabe iluminar
As ruas e o verso no universo projeta
Fazendo na vida o sonho se transformar.

A cafonice de ser correto

 Hoje em dia com a degradação da família, todos os bons conceitos são criticados, a atenção e o cuidado dos pais viraram invasão de privacidade.
Muitos adolescentes impuseram aos seus  pais  um território paralelo, o seu quarto; uma linha particular, o seu celular; suas anotações e bolsas, viraram  “sigilo bancário”   e assim por diante.
Com os parâmetros deteriorados por programas de televisão e permissividade dos pais, os genitores que ainda têm um cuidado maior com seus rebentos, ainda são criticados abertamente.
Numa reunião de pais, uma palestrante colocou uma propaganda onde uma criança de uma faixa etária de cinco anos de idade, cobra do seu coleguinha uma ligação para o seu aparelho de telefone, onde o menininho justifica não ligar por ter um dedinho quebrado.
Nessas diversas interpretações, que cabe à mensagem, um pai disse que era contra esse tipo de propaganda, pois induz à criancinha a ter um celular e a fazer e receber ligações de todas as pessoas, outro pai vociferou do fundo da sala, que a filha dele que tem a mesma idade, liga para todos e recebe ligações de muita gente, que não acha  certo filtrar ligações da filha...
Outro fato inusitado foi o depoimento de uma ex-modelo que tem acompanha a sua filha desfilar no bacanal televisivo com nome instituição fazendária.
A “mãe” foi inquirida sobre a cópula que a filha tinha praticado “no ar” embaixo do famoso edredom, a genitora orgulhosamente soltou a “pedrada” :
“- tomara mesmo, que ela tenha transado sem camisinha, pois terei um netinho lindo...”
Nessa nova época da permissividade e da sodomia, é difícil educar uma criança, mesmo se nossos conceitos sejam positivos, pois isso virou sinônimo de invasão de privacidade e cafonice.






Marcelo de Oliveira Souza

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...