mardi 2 juillet 2013

DESCOBRIR O SEGREDO DAS CORES

Por Germano Machado

A cor vermelha é fascinante; a azul, profunda; a verde, certo verde, clareia e repousa; o amarelo, delimita. Há vermelhos diversos e cada um em variados tons. O mesmo nas cores. Que seria do homem sem o negro afirmativo e o branco significando o abstrato, e as cores neutras sintetizadoras? Marrom e preto, que parecem opostas, combinam-se esplendidamente, por exemplo, um só exemplo, em  móveis, e mesmo, em roupas e sapatos. E os entretons? São tantos e tão variados que uma das coisas mais maravilhosas para o homem são as cores, algumas significam nações, clubes, como por exemplo o verde e amarelo para o Brasil. Na bandeira alemã, se não me engano  há o amarelo, vermelho e o preto, e assim todas as nações, mesmo todas as crenças e filosofias têm uma cor. Muitas são e não são - não deixam de ser... O arco-íris tem sete cores e nos penetram quando olhamos, falando-nos para a interioridade significativa da nossa mente. A cores que determinam os movimentos, as ideologias, as ciências, os conhecimentos e que, sem suas marcas, o homem não evolve (evoluir), que tem umas função toda própria. Todo Universo, como a pequena Terra, é feito de cor e de cores. Onde as cores não penetram e não se afirmam? Se eu tivesse competência destrincharia todas as riquezas das cores, uma vez que para mim, as cores são luzes e todo universo é permeado por luzes. Deus, o Ser coloriu todo o creado  a nós todos, mulheres e homens, somos coloridos de diversas maneiras, e todas as maneiras são belas. O vento como, o Espírito, Geist, é incolor, tomando cores ao contato com as realidades, os fenômenos...

Vamos, assim, descobrir o segredo das cores...

CONVITE


Apresentando: Raphael Maul Lins

Raphael Maul Lins, 33 anos, nascido em Brasília, residente em Santos desde criança, formado em Direito, ex-servidor público estadual, advogado, amante do samba, doente por futebol, romântico, apaixonado, escreve em seu blog - facebook.com/PoemaPoesiaEtCitara -, (quase) nunca publicou... sempre amou!


  Escritos acumulados dos últimos cinco ou seis anos. Antes disso, os papéis que recebiam os poemas eram amassados e jogados no lixo. De tanto a família e os amigos insistirem para que se mostrasse a poesia para o público, editou-se este livro, que traz versos soltos, sonetos, amor e um pouquinho de visão social.



 

Festa Junina ABEC


ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...