lundi 10 juin 2013

Quase haikais ou senryus?

Trabalho realizado pelo Grupo do Varal do Brasil no Facebook
Organizado por Ly Sabas







a lua redonda
de rendada transparência
olha para mim.


                                                          Dorothy de Brito Steil

*


vinho na taça
lábios sedentos
lençol de linho.


                                                         Inês Carmelita Lohn

*


canta o frio
através da vidraça
música atroz

                                     Ly Sabas
*


sábia
forte e fértil fala
ecoa na sala


                                                       Sandra Nascimento

*


no lago azul
entre as flores vivas
a alma dança


                                                                       Dulenary Ana Rosa Santana
*


está perfeito
o sonho de escrever
coisas do peito


                                                          Jacqueline Aisenman

*


jogo amoroso –
contar estrela cadente
e ganhar beijo


                                         Ly Sabas

*


fios e tramas
tecido colorido
risos sem drama.


                                         Norália Castro

*


lilás ...
me traz lembranças
e nada mais


                                                  Dulcio Ulyssea Junior


*


vejo a chuva
gotas grandes caem
terra lavada


                                                              Dulenary Ana Rosa Santana
*


cega vou
inevitável paixão
sangra coração


                                     Silvana Sil

*

paixão —
de corpo todo
de todo corpo


                                                    Dulcio Ulyssea Junior

*


bordo bordo
mil laçadas lançadas
bordo vida


                                      Norália Castro

*


na madrugada,
  arrulha a solidão — 
asa quebrada.


                                               Márcia Gomes

*


Mãe Terra vibra...
escolho mil cores
para ter o lilás.


                                      Norália Castro

*

só tentação
esconder o jogo
pra mostrar depois


                                                      Jacqueline Aisenman

*


ponto exato
encontro dos ponteiros
presença do sol.


                                      Norália Castro

*


estrelas são olhos
presas a noite
no céu espiam


                                Silvana Sil

*


cinza cantante
desce noite escura
estrelas abrem


                                       Norália Castro

*


estrelas ou flores?
por mim tanto faz!
são belezas naturais.


                                                        Dulcio Ulysseas Junior

*


harmonizar é
entre pedras, plantas, seres
aprender amar.


                                       Norália Castro

*


rosas e flores
trazem lembranças
regadas em mim.


                                 Silvana Sil

*


caminho torto
apita o trem -
saiu dos trilhos.


                                     Inês Carmelita Lohn



*
esvoaçantes
tsuros multicoloridos
desejam paz.


                           Ly Sabas

*




Imagem: Fadinhas – Carlos Kubo

CELEBRIDADES

 (PROSA POÉTICA “VULGAR”)

Para os meus amigos, e para todos aqueles que ainda buscam o Humano
E para os que já se foram

EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

Uma moça – filha de uma celebridade já morta– corta os pulsos aos quinze anos.
As pessoas casam-se para aparecer na revista “Caras”.
E as pessoas separam-se para serem vista na revista “Caras”.
Tudo é descartável, tudo se dissolve – nada fica.
Nada?
Somos seres da memória.
A tentação facilitária (vulgar) é a de indagar: o que está havendo?
Pensamos que estamos bem próximos.
Não: estamos ilhados virtualmente.
Somos seres falantes.
É preciso contar, dizer, imprecar.
É preciso deixar falar os nossos mortos.
Como um jardim: cultivar os nossos ancestrais.
E como um poeta panfletário, indagar: onde foi parar o NÚCLEO DO HUMANO?
Acumulamos dignidade ou buscamos freneticamente geringonças eletrônicas?
E comprar, comprar, comprar!
E nos perdemos de nós mesmos – no velho labirinto, já lembrado pelo poeta Mário de Sá Carneiro – que se matou em Paris, aos 26 anos.
Repito – como numa catacumba moderna (cheia de teclados e nomes em inglês: onde foi parar o humano?
E num tal de Twitter (que não sei bem o que é), escreve a moça que cortou os pulsos:
“Yesterday, all my troubles seemed so far away not it looks as though they’re to stay” (…) 
(“Ontem, todos os meus problemas pareciam tão longe, agora parece que vieram para ficar”).
(De “Yesterday”)
Que agora escuto, e sua beleza faz que eu pare tudo, vá à janela e contemple um pássaro cantando.
Agradeço: estou vivo, e isso me surpreende muito.
(...) Theres’s a shadow hanging over me”.
“Existe uma sombra pairando sobre mim.”
O tempo flui, mais uma tarde – o dia nunca repetido.
(...) “Oh, Yesterday come suddenly”
(“Oh, ontem veio de repente”)
E assim,  seguimos:
(…) “Love was such on easy game to play”
(“O amor era um jogo fácil de se jogar)
Queria ser enterrado com “Yesterday”, com Cartola (“As Rosas não falam”), “Romaria”, na voz de Elis Regina ou Renato Teixeira ( ou com “Jesus Alegria dos Homens”, de Bach).
A beleza salvará o mundo?
O amor é um jogo fácil de ser jogado? – agora eu indago
Não, não é.
Repito:  essa prosa poética, áspera, desconjuntada, vai para todos os meus amigos, vivos e mortos, que ainda acreditam (acreditaram) na Salvação do Humano.

(Em Salvador – Primeira Capital do Brasil –, em junho de 2013)

AS SANDÁLIAS DO GRANDE MESTRE

 

As sandálias de Rudolf Steiner!
Por  que não  ?
As sandálias do grande mestre
Estão a espera de alguém
Que calçá-las possa,
Com muita propriedade,
Coragem, vontade,
Imaculado espírito de sacrifício,
E  amor,
Nesta época da alma da consciência.


Sandálias são áreas do conhecimento
Humano; e as de Rudolf Steiner,
Sobretudo, a medicina, pedagogia,
Agricultura e a questão social
São as  mais preciosas,
Mais bem elaboradas ,
Arrematadas com alta  precisão,
Pois contêm a fibra, a determinação
E a coragem indomável do grande mestre.
No mundo não há nada que se aproxime
Ou se assemelhe,
Ciência espiritual   de grande valor,
 Elevadíssima , pura!
Como o homem que passa pela vitrine,
Tão apressado, e preocupado consigo mesmo,
Não tem tempo para observar as mercadorias
Expostas; assim também, passamos nossa vida,
Muitas vezes, preocupados apenas com nossa
Condição individual na sociedade;
E não enxergamos as  oportunidades
Que ela nos proporciona de realizar
Ações em prol de nossos semelhantes,
Em benefício da sociedade como um todo.

Os departamentos de oncologia,
Psiquiatria e dermatologia,
Como era o empenho de Rudolf Steiner,
Podem  ser  fecundados à luz da Antroposofia,
Trazendo uma nova compreensão para ciência;
Pra isso é preciso que um grande servidor
Calce as sandálias do grande mestre,
E assuma a responsabilidade de terminar
Sua obra que ainda se encontra inacabada.
Quem é capaz de calçar as sandálias de Rudolf Steiner
Para realizar  este propósito  no mundo ?!

Gildo P. de Oliveira

Rio Verde, Goiás, 08.06.13

Prêmio Festival de Contos Luso-Brasileiro-2013


Bienal do Rio de Janeiro-2013 e Feira do Livro de Lisboa-2014


“Lançado na Bienal do Rio de Janeiro em 6 de setembro de 2013 e na feira do livro de Lisboa em 2014”
Regulamento:
Prazo para envio dos textos: 30 de junho de 2013
DA PARTICIPAÇÃO:
1.1. A antologia "Celebrar: Celebrando a união lusófona entre Portugal, Brasil e Angola" é promovida pela Editora Mágico de Oz.
1.2. Poderão participar da antologia todas as pessoas físicas maiores de 18 anos, ou menores com permissão do responsável, residentes legais no Brasil, bem como brasileiros residentes no exterior. Também poderão participar da Antologia escritores de outras nacionalidades, desde que a língua mantida seja a língua portuguesa.
1.3. Das características da antologia: A Antologia "’Celebrar: Celebrando a união lusófona entre Portugal, Brasil e Angola “ receberá única e exclusivamente poesias, trovas, haikais, sonetos e crônicas, sendo que a criatividade e imaginação do escritor darão o toque e estilo ao trabalho.
1.4. Poderão participar da antologia autores com menos de vinte e um anos,mediante autorização por escrito de um responsável legal, acompanhada de fotocópia do original de documento de identidade do mesmo para conferência e registro de inscrição.
1.5. A participação se dará no sistema de cotas, sendo que cada autor deverá proceder ao pagamento da seguinte forma: R$200,00 em parcela única, por texto publicado sendo depositado até o dia 15 de julho.
(Caso receba notificação que seu texto foi aprovado)

O lançamento será no mês setembro de 2013 na Bienal do Rio de Janeiro
2013 e na Feira do livro de Lisboa 2014

1.6 Os participantes receberão um total de 4 exemplares da Antologia por participação mais 1 exemplar de direitos autorais, totalizando 5 livros.
Título; Celebrar: Celebrando a união lusófona entre Portugal, Brasil e Angola
Formato: 160x 230 mm (fechado)
Papel do miolo: OFF SET
1.7. A presente antologia será confeccionada pela Editora Mágico de Oz e receberá o registro em Portugal, e no Brasil receberá ISBN pela Literarte, mas cada autor é responsável por registrar suas obras. A antologia tem como finalidade estimular a produção de contos, formação e divulgação de novos autores.
2)DA ACEITAÇÃO DE CRÔNICAS E POESIAS
2.1. Serão aceitos apenas crônicas e poesias em língua portuguesa, de temática pertinente a antologia, com limite de mil caracteres por poesia e 3 mil para crônica ( Devido a formatação) com espaços, em formato A4, espaços de 1,5 entre linhas, fontes times ou arial tamanho 12, acompanhados dos dados de inscrição que constam no parágrafo 5.4 desse regulamento.
2.2. Não serão aceitos fanfics.
2.3. Os contos devidamente formatados deverão ser enviados para o email:
editoraoz@yahoo.pt ou editora@magicodeoz.com.pt
Assunto: Livro para Bienal, junto com os dados de inscrição e demais
documentos de autorização.
2.4. Os textos inscritos deverão contemplar, obrigatoriamente, os seguintes elementos:
(a) narrativa em primeira pessoa ou terceira pessoa;
(b) O tratamento dado ao tema será de exclusividade de cada autor
(c) Não ultrapassar o limite de caracteres com espaços, mais uma biografia de 10 linhas.
2.5. Caso o autor deseje que seu conto tenha mais do que o espaço reservado de caracteres ele terá a opção de adquirir o valor de duas cotas, assim podendo ampliar seu espaço na antologia. Os procedimentos são os mesmo citados no item 1.5 desse
regulamento, caso haja espaço na antologia liberaremos alguns autores que excedam sem custo extra.
3) NÃO SERÃO ACEITOS CRÔNICAS OU POESIAS QUE:
(a) possam causar danos a terceiros, seja através de difamação, injúria ou calúnia, danos materiais e/ou danos morais;
(b) ofendam a liberdade de crença e as religiões;
(c) contenham dados ou informações racistas ou discriminatórias;
(d) tenham a intenção de divulgar produtos ou serviços alheios aos objetivos da
antologia ou que tenham qualquer finalidade comercial;
(e) façam propaganda eleitoral ou divulguem opinião favorável ou contrária a partidos ou candidatos;
(f) tenham sido produzidos por terceiros;
(g) que não venham formatados nas normas estabelecidas por esse regulamento e descritas no item 2.1.
4) DAS CRÔNICAS E POESIAS INSCRITOS:
4.1. Os textos inscritos serão analisados e selecionados mediante avaliação do
profissional nomeado pela organização da Antologia, cujas decisões serão soberanas e irrecorríveis. A avaliação se dará com base nos seguintes critérios:
(a) criatividade e originalidade do enredo;
(b) adequação do enredo ao universo ficcional do livro
(c) impacto do conto e qualidade dos recursos narrativos utilizados.
4.2. Ao se inscrever na Antologia o autor autoriza automaticamente a veiculação de seu conto, sem ônus para a Editora nos meios de comunicação existentes ou que possam existir com a intenção de divulgar a antologia.
5) SOBRE AS INSCRIÇÕES:
5.1. As inscrições para a Antologia serão abertas às 24h00min do dia 01
de junho de 2013 e encerradas no dia 30 de junho de 2013, podendo ser
encerradas antes, caso o número de trabalhos recebidos e avaliados sejam
aprovados antes da data, no formato e padrão já descritos, sendo que a
partir desse momento o prazo para publicação é de 100 dias. As inscrições
só poderão ser feitas pelos e-mails acima citados ou pelo site.

OS NOMES DOS SELECIONADOS SERÃO DIVULGADOS NO DIA 2 DE
JULHO POR EMAIL.

5.2. Inscrições pelo site: o candidato deve preencher todas as informações e colar o texto diretamente no site.
5.3. Um determinado conto poderá ter mais de um autor, num número limite de dois.
Um determinado autor poderá participar da antologia com mais de uma poesia ou conto, desde que
observado o parágrafo 1.5 e 2.5 desse regulamento.
5.4. Para participar os candidatos deverão, além de enviar um ou mais textos de acordo com as regras estabelecidas neste regulamento, fornecer as informações a seguir:
(a) nome completo do autor do conto e de seu responsável legal(se for menor de idade);
(b) data de nascimento;
(c) número do documento de identidade pessoal e do responsável legal(se for menor de idade);
(d) endereço físico e eletrônico, completo e legível;
(e) telefone fixo e celular;
(f) informação de onde e como ficou sabendo da antologia;
(g) autorização por escrito assinada pelo responsável (se for menor de idade) e fotocópia legível do documento de identidade do mesmo (cópia escaneada e enviada junto com o e-mail);
(h) mini biografia de no máximo três linhas para cada autor. No caso de contos com dois autores o espaço deverá ser dividido entre ambos.
(i)Uma foto
(j) frete de entrega dos livros será por conta do autor.
5.5. Só serão aceitas inscrições através dos procedimentos previstos neste regulamento.
Os dados fornecidos pelos participantes, no momento das inscrições, deverão estar corretos, claros e precisos. É de total responsabilidade dos participantes a veracidade dos dados fornecidos à organização da Antologia .
5.6. Em caso de fraude comprovada, o conto será excluído automaticamente da
antologia.
5.7. Os participantes concordam em autorizar, pelo tempo que durar a antologia com a editora, que a organização faça uso do seu conto, suas imagens, som da voz e nomes em mídias impressas ou eletrônicas para divulgação da Antologia, sem nenhum ônus para os organizadores, e para benefício da maior visibilidade da obra e seu alcance junto ao leitor.
6) OUTRAS INFORMAÇÕES
6.1. Dúvidas relacionadas a esta antologia e seu regulamento poderão ser enviados para o e-mail editora@magicodeoz.com.pt
Ou pelo telefone 21- 6731-9249 Carol Borges
6.2. Todas as dúvidas e casos omissos neste regulamento serão analisados por uma comissão composta pela equipe organizadora e sua decisão será irrecorrível.
6.3. Para todos os efeitos legais, os participantes do presente Antologia, declaram ser os legítimos autores dos contos inscritos e garantem o ineditismo dos mesmos, isentando a editora pessoa física de qualquer reclamação ou demanda que porventura venha a ser apresentada em juízo ou fora dele.
6.4. A editora reserva-se o direito de alterar qualquer item desta Antologia, bem como interrompê-la, se necessário for, fazendo a comunicação expressa para os participantes.
6.5. A participação nesta Antologia implica na aceitação total e irrestrita de todos os itens deste regulamento.
Conta para depósito:
No Banco Itaú
Ag: 0059
Conta:30604-3
Fernanda Dutra Ferreira
CPF:123.341.137.14


Editora Mágico de Oz

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...