vendredi 8 mars 2013

DIA DA MULHER: REVISTA ESPECIAL SOBRE A MULHER

Revista de fevereiro de 2013





VARAL ESTENDIDO!

Sempre que fazemos uma edição temática temos muitas pessoas entusiastas que nos escrevem felizes.

Mas nenhum tema até agora superou este: A MULHER!

Já falamos de amor e vamos falar novamente no próximo mês; já falamos da vida e da preservação da vida (e claro que voltaremos a falar!) e de tantos outros temas.

Mas falar de MULHER é diferente. É falar de nós mesmos, de nossas mães, irmãs, avós, tias, primas, amigas e inimigas, colegas. É falar das que nos inspiram, das santas e das pecadoras. Falar das sábias (que algumas vezes enlouquecem) e das loucas (que tantas vezes são sábias!).

MULHER nem é mais um tema em si. MULHER é um UNIVERSO.

Vocês verão, o número de paginas está bem maior nesta edição. Foi impossível manter as inscrições até a data que havíamos previsto. E mesmo assim, ainda tivemos a tristeza de recusar certos trabalhos (que reconduzimos para as próximas edições).

Temos a participação de vários amigos do VARAL  de longa data e temos também a participação de novos escritores (novos no VARAL apenas, na vida já são talentosos e reconhecidos escritores) que chegam para se unir a esta família da literatura sem frescuras.

Este mês estamos lançando um concurso: o 1o PRÊMIO VARAL DO BRASIL DE LITERATURA que premiará originais em três categorias: contos, crônicas e poemas. As inscrições já estão abertas e esperamos a sua inscrição. Os dois primeiros lugares nas três categorias receberão prêmio em espécie e estarão como convidados no livro VARAL ANTOLÓGICO 4.

E por falar de VARAL ANTOLÓGICO, nosso volume 3 já está de lançamento marcado. Será dia 03 de maio durante o 27o Salão Internacional do Livro e da Imprensa de Genebra e em agosto em Florianópolis (SC), ambos os lançamentos na presença de vários autores.

Se você lembra de nossa participação cheia de sucesso no Salão do Livro de Genebra no ano passado, com quatorze autores autografando e mais de cem títulos expostos, prepare-se!

Estamos voltando este ano, com um stand maior, mais escritores para incríveis lançamentos e sessões de autógrafos, novos livros em exposição! E tudo isto porque o VARAL DO BRASIL e o Salão Internacional do Livro e da Imprensa de Genebra tem tudo a ver: é a maior festa da Literatura na Suíça e uma das maiores da Europa.

Obrigada por continuar conosco. Leitor, escritor, você faz o VARAL!



Ou peça pelo e-mail: varaldobrasil@gmail.com


DIA MUNDIAL DA MULHER

Por Dulce Rodrigues


Esta iniciativa muito simpática dos "dias mundiais" de qualquer coisa tem vindo a desenvolver-se a um ritmo acelerado desde há algum tempo e, se não servir para muito mais, é, sobretudo, lucrativa para os comerciantes. Não vivemos nós numa sociedade consumista? Quanto à finalidade essencial por que se criou o Dia Mundial da Mulher, será que esta é a melhor maneira de a atingir?
Como Mulher (não por oposição, mas como complementaridade a "como Homem"), permito-me discordar. Ao banalizarem-se os dias mundiais – fazendo dias mundiais a torto e a direito, por isto e por aquilo – estes perdem o seu simbolismo, logo a sua verdadeira importância. O mesmo tem acontecido com tantos outros valores, que se perderam, ao banalizarem-se determinadas atitudes ligadas intrinsecamente a esses mesmos valores. Só esta é a explicação para a crise de identidade em que tem vivido a nossa sociedade desde há mais de quatro décadas.
Dia Mundial da Mulher é todos os dias, pois a Mulher celebra-se no quotidiano da sua vida, ocupando-se do bem-estar dos filhos (se os tem), da família, da sociedade em geral. Mas, neste mundo em que vivemos desde há milénios, em que é a força física que impera, não a força espiritual do Amor pelo próximo, esta lição de humanismo perdeu-se, banalizou-se também. E é assim que ninguém se preocupa em questionar o que seria do mundo se todas as mulheres, ao mesmo tempo, decidissem fazer greve dessa celebração que se conjuga no tempo presente, no passado e no futuro do seu dia-a-dia.
E poucos se lembram – ou querem lembrar – que a forma primeiríssima de sociedade foi matriarcal, pois a mulher é a única capaz de dar vida, por isso ela era venerada. Que maior dávida para a humanidade do que "dar vida", por oposição a "tirar a vida", que é uma característica tão masculina?
Amanhã, festeja-se mais um Dia Mundial da Mulher e gostaria de vos contar um fim-de-semana, na aparência igual a tantos outros que vivi, mas que foi, contudo, diferente desses outros.
Nesse fim-de-semana houve um encontro literário em Longwy, na França, para o qual eu tinha recebido o convite aquando de um outro acontecimento do mesmo género em que participara na Bélgica, em Outubro do ano anterior. Os organizadores tinham previsto organizar uma mesa-redonda sobre a evolução da condição feminina ao longo dos tempos, para a qual fui convidada, assim como três outras escritoras, todas elas francesas, uma das quais membro da Academia Alsaciana.
No decorrer do jantar que se seguiu, falaram um, dois, três, quatro homens, debatendo assuntos de actualidade. Nenhuma mulher. Achei que num Dia Mundial da Mulher, as mulheres tinham algo a dizer e, como das mulheres ali presentes nenhuma tomava a iniciativa, competia-me a mim, em representação de todas elas e porque, ainda por cima, era a única estrangeira, tomar o microfone e falar.
Devo dizer muito sinceramente que o fiz com bastante custo, pois gosto muito de escrever, mas não tanto por falar em público. Mas teve de ser e falei, entre outras coisas sobre as mulheres afgãs, sobre as mulheres e crianças iraquianas, sobre as mulheres que sofrem sem poder, sequer, exprimir-se. Não falei muito, mas penso que toquei alguns corações, pois mal me tinha sentado, houve um jovem de uma outra mesa que se levantou e veio ter comigo porque “tinha de me dizer quanto gostara das minhas palavras e agradecer-me por as ter dito”. Mal ele se tinha sentado, foi a vez de uma jovem (soube depois que era escritora e viera de Cannes) se me dirigir e dizer que ficara emocionada ao ouvir-me e que me agradecia por isso. A minha emoção não foi menor perante estes dois jovens testemunhos.
A terminar esta crónica, gostaria de deixar bem clara a minha opinião de que, por mais leis que possam existir para defender os direitos e deveres de igualdade entre os dois sexos, essa igualdade só será conseguida quando houver uma mudança radical de mentalidade de ambos os lados. E essa mudança só se conseguirá através da educação. A educação da sociedade para a igualdade de direitos e deveres da mulher e do homem deve começar a ser feita já nos bancos da escola e complementarizada, a nível do secundário, com a realização de “conversas”, para as quais seriam convidadas – na medida do possível – autoras/intervenientes cujo percurso de vida testemunhe de uma época em as mulheres tiveram de lutar por objectivos que as gerações de hoje aceitam como adquiridos; mas que, exactamente por essa atitude passiva, podem vir a ser postos em causa.
Enquanto houver num sítio qualquer do globo mulheres que vivem subjugadas e sem qualquer possibilidade de afirmação como seres humanos com direitos e deveres, não haverá igualdade entre homens e mulheres.
É a todas essas mulheres que dedico estas linhas, insuficientes – reconheço – para defender tão grande causa, mas ditadas pelo meu coração de Mulher e de Mãe.

X PRÊMIO LITERÁRIO VALDECK ALMEIDA DE JESUS – POESIA


Apoio: União Brasileira de Escritores – Núcleo Bahia

 
1 - O Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus visa estimular novas produções literárias e é dirigido a candidatos de qualquer nacionalidade, residentes no Brasil ou no exterior, desde que seus trabalhos sejam escritos em língua portuguesa.

2 – As inscrições acontecem de 1.º de janeiro de 2013 a 30 de outubro de 2013, através do e-mail valdeck2007@gmail.com. Serão aceits poesias, de até 25 linhas, acompanhados de minibiografia (de até cinco linhas), endereço completo com CEP e telefone de contato, com DDD. Os textos devem vir anexados ao corpo do e-mail como arquivos em formato Word. Inscrições incompletas serão desclassificadas. Para a contagem do prazo de encerramento, considerar-se-á a data de postagem no e-mail. Não serão aceitas inscrições pelos correios.

3 - A obra não precisa ser inédita e deve versar sobre tema livre. Serão aceitos, também, textos sobre escritores e poetas malditos, esquecidos, não editados há muitos anos, sejam de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, Portugal,São Tomé e Príncipe eTimor-Leste. Da mesma forma, serão aceitasredações sobre temas africanos, Copa do Mundo de Futebol de 2014 e sobre escritores de outras partes do mundo, desde que redigidas em língua portuguesa. Cada autor responderá perante a lei por plágio, cópia indevida ou outro crime relacionado ao direito autoral. A inscrição implica concordância com o regulamento e cessão dos direitos autorais apenas para a primeira edição do livro, bem como autorização para divulgar o nome e/ou imagem do autor em qualquer meio de comunicação.

4 – A seleção do texto será feita por uma equipe de escritores capacitados. A premiação é a publicação do texto selecionado em até seis meses do encerramento das inscrições. Sugere-se que os escritores selecionados criem um blog gratuito ou usem seus blogs pessoais, após a divulgação do resultado do concurso, para dar visibilidade ao trabalho de todos os participantes. Os casos omissos serão decididos soberanamente pela equipe promotora. Os textos podem receber correções, respeitando o Novo Acordo Ortográfico. Serão eliminados do concurso os autores que não responderem aos e-mails da comissão para aprovação/desaprovação das possíveis correções.

5 - O autor que desejar adquirir exemplares do livro deverá fazê-lo diretamente com a editora ou com o organizador do prêmio. Os primeiros dez classificados receberão um exemplar gratuitamente. Os demais podem recebê-lo, a critério da organização do evento e da disponibilidade de recursos financeiros.


Modelo de ficha de inscrição:

Paulo Pereira dos Santos
Rua Santo André, 40 – Ed. Pedra – apt. 201
35985-999 – Portão
Belo Horizonte-MG
(31) 3366-9988, 8877-8999

Modelo de minibiografia:

Paulo Pereira dos Santos é natural de Santana-PB. Escritor, poeta e jornalista, tem dois livros publicados: “Antes de tudo” e “Até amanhã”. Participa de cinco antologias de poesias. Graduado em comunicação social. Menção honrosa em diversos concursos de poesia. Tem dois livros no prelo e pretende lançá-los em 2012.


Projeto publicado no site do PNLL do Ministério da Cultura

Lançamentos:

1ª Antologia: Bienal do Livro da Bahia, em abril/2005 e 2007;
2ª Antologia: III Corredor Literário da Paulista, em outubro/2007;
3ª Antologia: Na 20ª Bienal do Livro de São Paulo e na 3ª Feira do Livro de Sergipe, em 2008 e na 9ª Bienal do Livro da Bahia;
4ª Antologia: Bienal do Livro do Rio de Janeiro, em setembro de 2009 e no Espaço Castro Alves, num grande shopping da Bahia;
5ª Antologia: Bienal do Livro de São Paulo, em 21.08.2010;
6ª Antologia: Bienal do Livro do Rio de Janeiro, em 03.09.2011 e 02.11.2011 na 10ª Bienal do Livro da Bahia;
7ª Antologia: Bienal do Livro do São Paulo, em agosto de 2012;
 
 
MAIS INFORMAÇÕES:
 
Valdeck Almeida de Jesus
Tel: (71) 9345-5255
E-mail: valdeck2007@gmail.com
Site do Organizador: www.galinhapulando.com

ASSOCIAÇÃO ARTÍSTICA, LITERÁRIA E MULTIPROFISSIONAL


Interassociativismo - ALPAS 21

ASSOCIAÇÃO ARTÍSTICA, LITERÁRIA  E MULTIPROFISSIONAL
‘A palavra do século 21’ – ALPAS 21
Fundada em 1998
Cruz Alta - RS

Letras, artes, ciências e tecnologias

19º CONCURSO LITERÁRIO INTERNACIONAL
DE POESIAS, CONTOS E CRÔNICAS                                            


Autora homenageada: Maria Elena Vizzotto

Tema Livre – Textos inéditos


Participam deste concurso autores de diversos países com textos em
Português, espanhol e italiano


Inscrição até: 10.03.2013 pelos e-mails:

Categorias:

Estudante (  )   Máster  (  )


Livre de taxas

Resultado em maio de 2013

Diploma para os três primeiros lugares e para os Destaques literário Poesia, Conto e Crônica.
Concurso de Poesias - Estudante: Diploma para os três primeiros lugares.

OBS:
1 - Os diplomas serão enviados por e-mail para que os autores os imprimam.


Para divulgação dos textos classificados será editada uma coletânea cooperativada a ser lançada em 2013.

Instruções:                                                                           
I – Sugerimos aos autores que registrem seus textos na Biblioteca Nacional.

II -  Formatação do texto em A4; fonte 12, arial ou times.

III - Solicitamos criteriosa correção gramatical: ortografia, concordância e sintaxe.

IV – Estudantes – Somente poesia: Indique a série, o grau, a escola ou universidade (nome e endereço).

V – Não há necessidade de pseudônimo, os textos receberão números.

VI – Enviar breve currículo e foto (opcional).
 

OBS- I Vamos imprimir uma cópia para o Memorial da Cultura ALPAS 21 com os dados do autor e três cópias para os jurados sem identificação.

II - O Currículo e a foto (opcional) irão para o Memorial da Cultura ALPAS 21 e Galeria de autores, posteriormente serão usados para a divulgação dos vencedores.


Coletânea 'Transparências'
Para maior divulgação das obras classificadas será organizada a Coletânea Cooperativada 'Transparências' com lançamento previsto para novembro de 2013 - Autora homenageada: Maria Elena Vizzotto

Associação Artística, Literária e Multiprofissional

‘A Palavra do Século 21’ – ALPAS21

Rua Benjamin Constant, 71 – Cruz Alta – RS -98025 110



ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...