vendredi 20 décembre 2013

O SUBLIME MISTÉRIO DAS ROSAS


Falar é fácil.
Falam mesmo as provas
com que o destino
nos coloca presentes no mundo
para vivenciarmos
o sublime mistério das  rosas !


Rosas viçosas, belas, formosas,  
 sábias;
rosas dos mais sublimes e belos
matizes de cor e  luz;
rosas eminentemente rosas!


Rosas perfumadas, serenas,
rosas-mãe, rosas pródigas,
rosas que prometem, renunciam,
que se dedicam ao homem
por toda uma vida
com desprendimento e espiritualidade;
rosas que encantam com doçura e
amabilidade.


Rosas abnegadas que abdicam
dos dotes da formosura em  prol
de uma causa nobre , uma missão
no mundo; rosas noturnas...



rosas-aurora, anunciando a chegada
do Sol, senhor da vida, solenemente!
Rosas angelicais expressando as mais sublimes
palavras de amor, candura!





Rosas companheiras que caminham
com o homem em sua evolução
contínua no cosmo; vitalizando
a marcha ascencional triunfante
da alma pelas veredas do espírito
universal; verdadeiros laços
fraternos são edificados no coração.


Rosas que fascinam e fazem cair
o homem; rosas que o levantam;
rosas altruístas, ativas, voluntárias,
irmãs; rosas que morrem com grandeza
de espírito , deixando para o mundo
 uma eterna lição de vida!


Rosas mal -cuidadas, sem trato;
esquecidas, enfraquecidas,
envelhecidas, isoladas,
desiludidas, ultrajadas,
discriminadas, violentadas,
surdas, mudas, cegas...



as que não conseguem mais caminhar;
as portadoras de doenças incuráveis
que sofrem na vigília e na solidão da noite


Rosas martirizadas,
que suportam com coragem
indomável provas severas.

Almas elevadas, sublimadas,
iluminadas, santificadas,
rosas verdadeiramente
espiritualizadas, perenes,
para sempre lembradas!

Rosas pioneiras, rosas modernas;
rosas obreiras, guerreiras,
incansáveis, que trabalham
sem medir esforços, sem descanso;
o verdadeiro esteio da família;
rosas mensageiras do amor!


Rosas de luz, que pelo dom especial
sabem conduzir, com maestria,
as primeiras palavras aos pequeninos,
frágeis, indefesos numa sala de aula...

Rosas que compartilham a vida
com a comunidade inteira,
acendendo em cada mente a centelha
para o aprendizado eterno;rosas educadoras;
rosas mestras; a nossa querida
professorinha,saudade!

Rosas que lavam feridas
e cicatrizam chagas; que
atenuam dores e trazem consolo
à alma; sabem ouvir, silenciar;
e no momento oportuno dar uma
palavra amiga!



Rosas que assistem os enfermos
nos leitos, consultórios, em toda parte
com uma prece nos lábios e um sorriso
largo, dourado; sempre prestativas;
rosas cuidadoras, anjos de cura!


Rosas que pela iniciação
renascem com autoconsciência
trazendo para o homem o dom
da percepção dos mundos espirituais
graças às maravilhosas flores de
Lótus do corpo astral e dos fluxos
e movimentos poderosos do corpo
etérico; do vibrante órgão do verbo interior
no solo sagrado, o coração.

Rosas devotadas, confiantes,
que não se intimidam diante
da solidão; e reconhecem
na clausura a grande oportunidade
para alcançar profundas vivencias
espirituais...


rosas vivas dos monastérios;
o dom inabalável da fé edificante
na busca ao Cristo Jesus.


Rosas que despertam
 espiritualmente em almas gnósticas;
estrelas desafiando órgãos sensoriais
e intelecto; arte humana sublime
se revelando ao coração.

A Rosa das rosas,
a divina virgem Maria,
a Imaculada Conceição,
nossa querida mãe,
com seu manto protetor,
amorosamente nos guia.


Rosas que enfeitam a vida
e também a morte;
rosas que transcendem
a compreensão humana.


Brilham na cruz as rosas,
esplêndidas, eternas,
espirituais, maravilhosas,
anunciando a vitória do espírito
sobre a morte, trazendo para
a alma humana decaída a cura
e a redenção pela graça, misericórdia
e doação infinita do divino mestre
Cristo Jesus, o maior exemplo de amor
em toda a evolução da Humanidade.


O destino nos coloca diante das rosas
para o fiel cumprimento das provas
pelas quais precisamos passar, antes
da missão espiritual que temos de realizar...



por isso a rosa da nossa missão de vida
na Terra deve ser cultivada por nós
verdadeiramente, com muito amor;
para que um dia, já com maturidade espiritual,
possamos reconhecê-la enfim, em nós mesmos
com uma extensão natural nossa...



e com ela, juntos, plenos, altivos,
espirituais e justos, possamos prosseguir
durante séculos e milênios,
por toda a Eternidade,
pelas amplidões espirituais infinitas
retornando ao celeiro do Pai.


Núpcias celestiais,
tesouros do Céu e da Terra,
novamente unidos
à luz da perfeição,
agora com  autoconsciência,
alma e espírito; assim
viverá o  ser humano!

Gildo P. de Oliveira
integra o livro A Busca  da Ferradura de Ouro, a Âncora e a Chave


ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...