lundi 4 février 2013

SANTA MARIA: 2013


 EMANUEL MEDEIROS VIEIRA
                                     
                                      Noturna
                                      Soturna
                                     (Facilitária rima)
                                     A Morte à Espreita
                                     Não, esses moços não estão mais ali, nos quartos,
                                     Os cadernos, o tênis, os livros, computadores, roupas: sim
                                     Sonhos esparramados.
                                     Sim: ali estão.
                                     Eles – moços e moças – não mais
                                    Qualquer palavra parece irrelevante
                                    Inútil essa “poesia”
                                    Toneladas de análises
                                    Ganância, mercantilismo, alvarás, fiscalização, mentiras,
                                    jogo de empurra, corrupção entranhada
                                    É tudo lucro.
                                    E o Esquecimento?
                                    Para alguns, nunca virá o oblívio
                                    Noturna
                                    Soturna
                                    Todo sonho interrompido
                                    É muito cedo para isso
                                    Nunca mais serás Maria
                                    Universitária
                                   Deste Rio Grande
                                   Pedaço deste Brasil sempre enganado
                                   Fica a palavra engasgada
                                   Todos os tempos serão poucos para o esquecimento: repito-me
                                   Fica o silêncio, um quarto vazio, uma vela acesa, uma flor, uma    
                                   foto, a lembrança de um almoço domingueiro
                                   Uma ausência inelutável
                                   É tudo irrevogável
                                   Penso nesses moços enquanto se arrumavam para
                                   a festa, o sapato lustrado, o vestido mais bonito,
                                   sorrisos, expectativas felizes
                                   Um dia, seriam país, avós – nunca mais
                                   Ela estava ali – À Espreita

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...