mercredi 6 février 2013

POEMA DE CLEVANE PESSOA


Compartilho post de Faruk Sarioglu (imagem)  -sempre com muito bom gosto nas seleções que faz- e escrevo:

Poente 


Não por acaso,
 o sol em desmaio de ocaso
lambe a água fria
contamina-a de amarelo
e desenha um movimento
antes de recolher-se.

Já eu, saio
e semeio versos ,
para , notívaga,
fertilizar a Noite.

Clevane Pessoa 


ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...