lundi 23 juillet 2012

UMA ESCALADA E TANTO


Engraçado como as coisas acontecem de um modo aleatório sem que para isso tenhamos aplicado qualquer esforço intencional. Veja bem: aqui em Porto Alegre, meu amigo Glênio Reis, notável comunicador da Rádio Gaucha, chamava-me atenção sobre um grande “tangueiro” nacional que vinha assombrando “los porteños” com seus comentários na revista eletrônica PPP, da Argentina, na qual esbanjava conhecimentos incomuns a ponto de ser confundido com algum articulista de renome naquele país.
Era Agilmar Machado, honorável “lagunense” que tinha descoberto através do portal “Caros Ouvintes”, de Florianópolis, a quem passava a destinar vários comentários sobre os artigos que ali postava. Entrementes, eu era convidado pelo diretor Antunes Severo a colaborar naquele site, recebendo a retribuição do Agilmar. Consequência dessa nossa troca de “farpas”, resolvia postar uma matéria em meu blog sobre a homenagem que ele recebia da escola de samba da qual era um dos fundadores. E eis que me surgia a surpresa...
Era Jacqueline Aisenman comentando aquela postagem, logo seguida de apresentações de Agilmar sobre a ilustre lagunense radicada em Genebra (Suíça), a quem havia dedicado um texto de saudação e acolhida pela honrosa deferência. http://poetadasaguasdoces.blogpot.com.br/2008/02/navegando-pela-rota-de-porto-alegre.html.                                                          
Passava então a interagir com seu portal “Coracional” com minhas apreciações do material ali exposto. Um belo dia, sem querer, descobria a primeira foto colocada em seguidores do nosso “Poeta das Águas Doces” como Coracional. Então Jacqueline lançava “Varal do Brasil”.
Uma quadrinha comentando acerca de tela “natureza morta” e ela me respondia “vem pro Varal, vem poeta”. Daí sucedia-se algumas colaborações minhas para a Revista Varal do Brasil, coroadas com a publicação de dois textos no livro “Varal Antológico”, dos quais o segundo me havia solicitado para completar a cota de páginas de cada autor. Enviava-lhe então “O Velho ‘Chateau’ daqueles Rapazes de Antigamente” que ela logo remetia para revisão e depois me repassava o retorno com a nota “adorei esse texto”.
Era Maria Clarice Sampaio Villac, cujo endereço eletrônico descobria através de rastreamento na Internet a fim de agradecer a gentileza do seu comentário, enviando-lhe após os meus livros “Lá pelas tantas” e “Para não dizerem que passei em brancas nuvens”. Professora de Português na Escola Municipal de Ensino Básico Horácio Salles da Cunha (Valinhos-SP), de notável atuação nas áreas pedagógica e ambiental, assim podia constatar através de “Cantinho Literário” e “Ponto de Luz”, interessantes portais informáticos que editava com sucesso. Sem me dar conta do inesperado que me aguardava 
E assim fazia questão de conhecer pessoalmente aquela gente amiga da EMEB Horácio Salles da Cunha, como o coordenador pedagógico Wilson Vicente, a professora de Artes Leila Rangel, o diretor da Escola Prof. Frederico Rodrigues Póvoa Leal, a secretaria Vanessa de Cássia Palmeira e demais mestres, funcionários e alunos, os quais me dispensavam uma fidalga acolhida na visita àquela Escola, coroando todo essa escalada de valiosas amizades que me permitiam alcançar aonde eu jamais imaginava conseguisse atingir.

  
EM TEMPO: Nessa jornada memorável, ainda conhecia, ao vivo e a cores, figuras carismáticas como o radialista Edemar Annuseck por meio de “Caros Ouvintes”, http://poetadasaguasdoces.blogspot.com.br/2009/04/e-deixamos-de-ser-amigos-virtuais.html
E, no lançamento da coletânea “Varal Antológico” em Florianópolis os escritores Maria de Fátima Barreto Michels
E Raimundo Cândido Teixeira Filho,


Convite Contos de Esperança


Jorge Amado é homenageado em livro na 22ª Bienal de São Paulo


Jornalista lança antologia com artigos, redações e crônicas em homenagem ao centenário de Jorge Amado




O livro “Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus – Homenagem ao Centenário de nascimento de Jorge Amado (1912-2012)” será lançado no estande da PerSe Editora, em 10 de agosto, das 19 às 22 horas, mesmo dia do nascimento do grande Jorge. A obra é resultado de um concurso internacional patrocinado pelo jornalista jequieense Valdeck Almeida de Jesus e traz artigos, crônicas, redações e poemas de 64 escritores de várias partes do mundo. São eles: Abraão Leite Sampaio, Adriana Quezado, Agostinha Monteiro, Alice Gödke, Amanda Löwenhaupt, Ana Claudia de Souza de Oliveira, Ana Rosa de Oliveira, André Kondo, Beatriz Moraes Ferreira, Betty Silberstein, Bruno Monteiro Flores, Carlos Souza, Clarissa Damasceno Melo, Crispim Santos Quirino, Danilo Souza Pelloso, Denílson da Silva Araújo, Dhiogo José Caetano, Diogo Cantante, Diogo Rocha Braga, Domingos Alberto Richieri Nuvolari, Ed Carlos Alves de Santana, Edweine Loureiro, Elson Carvalho Alves, Eulália Cristina Costa e Costa, Gil Nascimento, Gustavo Zevallos, Isadora Sabar, Janio Felix Filho, Josafá de Orós, Júlio César Freid’Sil, Karline da Costa Batista, Léa Costa Santana Dias, Lénia Aguiar, Lina Macieira, Lucas Expedito Claro Prado, Lúcia Amélia Brüllhardt, Marcelo Canto, Márcio Santos Sales, Maria da Conceição Braga de Castro, Maria das Graças Evangelista Santos, Maria Fernanda Reis Esteves, Maria José de Oliveira Santos, Maria Letra, Maria Luiza Falcão, Marilene Maria de Oliveira, Marilene Oliveira de Andrade, Marina Fernanda Veiga dos Santos de Farias, Neva Scarazzati de Oliveira, Nubia Estela, Olmira Daniela Schaun da Cunha, Paula Alves, Quitilane Pinheiro dos Santos, Renata Leone, Renata Rimet, Roberto Augusto de Piratininga Ferrari, Roseli Princhatti Arruda Nuzzi, Silas Correa Leite, Silvia Helena Machuca, Silvio Parise, Solange Gomes da Fonseca, Varenka de Fátima Araújo, Vó Fia e Zeca São Bernardo.

Primeiros colocados

“NEM O ÓDIO, NEM A BONDADE”: JORGE AMADO E A LUTA PROLETÁRIA NO ROMANCE CAPITÃES DA AREIA
(Léa Costa Santana Dias)

O Evangelho segundo Jorge Amado
(Sílvia Helena Machuca)

Sem-Pernas: o retrato de muitas crianças baianas
(Marilene Oliveira de Andrade)

A Construção Econômica e Social de Jorge Amado: O País do Carnaval, Cacau e Suor; Capitães da Areia; Os Velhos Marinheiros
(Denílson da Silva Araújo)

Salvador de um Amado Jorge
(Edweine Loureiro)

Vozes do Sertão
(Bruno Monteiro Flores)

Jorge Amado e o cinema
(Quitilane Pinheiro dos Santos)

Jorge “O Bem” Amado
(Ana Claudia de Souza de Oliveira)

Amado foi Jorge, que desenhou suas raízes escrevendo!
(Domingos Alberto Richieri Nuvolari)

Jorge Amado e a União Brasileira de Escritores
(Carlos Souza)


Menções Honrosas

A contribuição de Jorge Amado para a Literatura Brasileira
(Domingos Ailton Ribeiro de Carvalho)

Terra adubada com sangue
(Bruno Monteiro Flores)

As Mulheres de Amado
(Karline da Costa Batista)

Visita à casa de Jorge Amado
(André Kondo)

Primeiro Dia em Salvador
(Marilene Maria de Oliveira)

Jorge Amado é sinônimo de Brasil, de Bahia, de brasilidade. Falar da obra é falar do ser humano criador; falar das personagens é identificar o falar natural das pessoas da rua, da gente que circula e inunda praças e avenidas desse grande país, que é mais interior do que capital. A presença de Jorge está nas esquinas, nos costumes, que o tempo não deixa morrer. O escritor está vivo, sempre, na vasta e diversa obra. E o tempo, senhor da vida, junto com a justiça dos orixás que protegem Jorge Amado, imortalizam a obra desse homem.

CONCURSO LITERÁRIO
O certame acontece desde 2005 e tem o apoio do Núcleo Baiano da União Brasileira de Escritores, que se junta à justa homenagem a Jorge Amado. Totalmente patrocinado pelo escritor Valdeck, o prêmio já publicou treze livros com mais de 1.100 textos diversos de autores do Brasil, Argentina, Espanha, Portugal, Estados Unidos, Moçambique, China, França, Inglaterra, Japão, Suécia e Suíça, num trabalho sobre-humano de difusão da literatura e da língua portuguesa.

VALDECK ALMEIDA DE JESUS (1966) é jornalista, funcionário público, editor, escritor e poeta. Embaixador Universal da Paz, Membro da Academia de Letras do Brasil, Academia de Letras de Jequié, Academia de Cultura da Bahia, Academia de Letras de Teófilo Otoni, Poetas del Mundo, Fala Escritor, Confraria dos Artistas e Poetas pela Paz e da União Brasileira de Escritores. Publicou “Memorial do Inferno: a saga da família Almeida no Jardim do Éden”,Feitiço contra o feiticeiro”, “Valdeck é Prosa e Vanise é Poesia”, “30 Anos de Poesia”, “Heartache Poems”, ”Yes, I am gay. So, what? – Alice in Wonderland”, “O MST e a Mídia: uma análise do discurso sobre o Movimento dos Sem Terra nos jornais A TARDE online e O Globo online” (co-autor: Jobson Santana), dentre outros, e participa de mais de 75 antologias. Organiza e patrocina o Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus de Poesia, desde 2005, o qual já lançou mais de 1000 textos. Colabora com os sites Favas Contadas, Artigonal, Web Artigos, Recanto das Letras, Portal Literal, Portal Villas, Pravda, PodCultura, Overmundo, Comunique-se, Dzaí, Difundir, Jornal do Brasil, Só Artigos e À queima roupa. Tem textos divulgados nas rádios online Sol (Diadema-SP), Raiz Online (Portugal) e CBN (Globo). Site: www.galinhapulando.com

Local do Lançamento
22ª BIENAL INTERNACIONAL DO
LIVRO DE SÃO PAULO 2012

Dia 09 a 19 de Agosto de 2012, das 10 às 22 horas
Parque de Exposições Anhembi
Avenida Olavo Fontoura, 1209
Bairro Santana – São Paulo – SP

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...