vendredi 7 septembre 2012

Greice Munhoz da Silva


Greice Munhoz da Silva nasceu em Porto Alegre (RS) e sempre viveu entre a terra natal e São Paulo, cidade onde mora atualmente. 
Administradora por formação, comunicadora por natureza, atua como especialista em Tecnologia da Informação e Comunicação, com ênfase em design de interfaces e usabilidade na Internet – área que adotou após trabalhar muitos anos com marketing corporativo e Publicidade e Propaganda.
O gosto por escrever surgiu aos 12 anos, a princípio como um hobbie. Depois de muito tempo e insistência de amigos, começou a se inscrever em concursos literários e antologias (Poetismo brasileiro 1997: Quando o humor é dor; Cotidiano – ABNL; Antologia em versos, vol. 17, 1999: Amor Brasileiro – Movimento poético em SP/PJ editores; IV Concurso Internacional Literário, Arnaldo Giraldo: Amor Brasileiro e Desconserto – Vigor de Primavera, 1999; Olimpíada Cultural 500 anos da Língua Portuguesa no Brasil: Bibelô – Clube amigo das letras; V Concurso Internacional Literário, Arnaldo Giraldo: Boka Loka e Sunday-Monday - 500 outonos de prosa e verso, 2000; Concurso Literário promovido pelo Clube dos escritores de Piracicaba: Vida de Inseto, 1999; Concurso Literário “E por falar em amor”: Enquanto há água na fonte – Casa do novo autor editora, 2000; 2º. Concurso alternativo de poesias Anita Costa Prado: Sunday-Monday, 2000; Concurso literário “Amor e paixão – o erotismo na literatura: In experiência – Casa do novo autor editora, 2000.) .
A partir daí veio a idéia de publicar um livro-solo, que acabou sendo lançado em 2001 na Livraria da Vila, sob o título de Poecrias. A edição foi independente e a produção do livro foi resultado do trabalho de vários amigos.
 Hoje a escritora mantém textos no site: www.gremunhoz.multiply.com, onde, dentre outras coisas, alimenta um blog; teve seu poema “CoiZas” selecionado para o livro-agenda da Tribo 2008; e no mesmo ano seu conto “Salvador e paz” foi selecionado para a publicação “Narrativas e poéticas”, Vol. 2 da Editora Guemanisse.  


Esse livro foi publicado em 2001, a partir de uma iniciativa mais informal, com a ajuda financeira e operacional de amigos. Apesar de caseiro, foi lançado na Livraria da Vila, que me deu uma super força, foram uns amores.

Na época eu trabalhava numa multinacional, de 10 a 14 horas por dia. Nem vida pessoal eu tinha direito, acompanhei o processo de produção aos trancos e barrancos, de binóculos mesmo.

Mas foi uma satisfação, uma forma de ver materializado aquilo que poderia ter continuado em gavetas, no descarte, ou em algum disquete que daqui a pouco nem poderá ser aberto em computadores de ponta...

Seu conteúdo nunca foi usado que não fosse por amigos, com exceção das antologias e concursos mencionados. Alguma coisa também se encontra na Internet, googleando você me acha. Um amigo músico, o Sonekka, musicou um dos poemas e canta por aí a “Fugitiva”, originalmente o “Fugitivo”.

Ganhar dinheiro com poesia neste País nunca foi fácil e nem é essa minha pretensão, mas acho que as pessoas precisam, mais do que nunca, aproveitar a Internet para divulgar seu trabalho e vê-lo reconhecido, já que nesse ambiente o conteúdo é construído de uma forma descentralizada. 


ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...