mardi 12 juin 2012

A Cidade Destruída


As pessoas civilizadas reclamam muito da grande falta de educação que permeia o povo soteropolitano, ao presenciarmos tamanha falta de respeito aos seus semelhantes.
Essa questão tem que ser muito discutida e também trabalhada em nossas famílias, pois no bojo da ignorância fica muito difícil educar crianças e adolescentes vendo os próprios pais transgredindo leis e desrespeitando ao próximo.
Somente em um dia presenciamos incontáveis falta de respeito e de amor ao semelhante, quanto mais o respeito à natureza e aos animais.
Num posto de gasolina vimos um motorista “profissional” de táxi estacionar na saída, quando a pessoa apita para reclamar o homem faz um verdadeiro escândalo, retirando o veículo, de cara amarrada; quem trabalha no trânsito devia ser o mais tranqüilizador possível, mas o que vemos são pessoas despreparadas, motoqueiros disputando com “taxeiros” e motorista de ônibus; ninguém respeita sinalização, semáforo e tudo que possa atrapalhar a sua sanha de chegar primeiro a um determinado lugar.
As ruas da cidade são verdadeiras armadilhas, buracos para todos os lados, um viaduto que passou um mês sendo reformado, aparece cheio de imperfeições e com uma verdadeira “colcha de retalhos” de recapeamento asfáltico, o pior é que na saída desse mesmo viaduto, notamos muitas irregularidades e inclusive pontos abertos e estragados.
O sofrido povo de Salvador, pena com tamanha falta de preparo dos seus representantes, mas também eles fazes o próprio povo sofrer.
Não respeitam passarela em estradas, preferem serem atropelados a andar mais um pouquinho; não respeitam idosos, tampouco crianças, muitos xingam, gritam, urram não importa o horário, só percebemos o eco do desconforto.
As filas para entrar em transportes lá no terminal é o maior empurra-empurra, mas o pior quando as pessoas civilizadas pegam uma fila enorme para acessar o caixa eletrônico e aparece um homem com toda a sua arrogância e invade o terminal, retira o dinheiro e quando o povo reclama, o incauto ainda vocifera que todos são otários mesmo e otário tem que pegar fila.
A falta de respeito e de cidadania, vem  começando do sistema público onde pessoas com câncer e com traumatismo craniano são obrigadas a vagar de hospital em hospital procurando UTI, como se o doente pudesse escolher ou ter horário para piorar o que já não tem nem como piorar, só morrendo, é o que acontece...
A cidade de Salvador virou um amontoado de favelas, as pessoas se acotovelam na falta de educação e do respeito ao ser humano em todas as áreas e a grande quantidade de pessoas honestas e ordeiras se sente totalmente alienígenas à cidade da falta de oportunidades de tudo e em todas as esferas.


Marcelo de Oliveira Souza




ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...