lundi 21 mai 2012

Redescobrindo Brumadinho, lançamento de livros dia 01 de junho



Redescobrindo Brumadinho



Quando os bandeirantes vieram a Minas Gerais e passaram pela região do Vale do Paraopeba, em busca de ouro e esmeraldas, não tiveram sucesso, porque ouro mesmo foi encontrado em Ouro Preto. Mas, pelo caminho aberto pela bandeira de Fernão Dias, vários povoados foram surgindo no percurso do Rio Paraopeba e seus afluentes, entre as serras da Conquistinha e Rola Moça, onde hoje se localiza o município de Brumadinho.

Entre os povoamentos que nasceram com a imigração aberta pelas Bandeiras no século XVII estão os distritos históricos que formam o município de Brumadinho, desde 1938. São eles os distritos de Brumado do Paraopeba, que hoje se chama Conceição de Itaguá; São José do Paraopeba; Aranha, Piedade do Paraopeba e sede.

No decorrer dos anos, esses distritos preservaram sua cultura, história e natureza que, juntas, propiciam hoje um turismo diversificado que atrai investimentos turísticos em toda a extensão do município. Entre esses investimentos está o Instituto Cultural Inhotim, implantado no distrito de Conceição de Itaguá, atraindo público nacional e internacional. Um investimento cultural que abriu as portas de Brumadinho para o mundo.

Cada distrito histórico de Brumadinho traz riquezas culturais de grande atração turística e, um deles é São José do Paraopeba, onde estão concentradas quatro comunidades quilombolas e a Fazenda dos Martins, construída no período colonial/ escravocrata. Esta fazenda é tombada pelo Iepha- Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico, e está em fase inicial de restauração. Posteriormente, a Fazenda será aberta a visitação pública e transformada em Centro da Cultura Negra, com geração de emprego para os jovens quilombolas dos povoados de Rodrigues, Ribeirão, Sapé e Marinhos.

A potencialidade turística de São José do Paraopeba está também na produção de cachaça artesanal de qualidade. A famosa Cachaça Boa Vitória, exportada para todo o mundo está entre elas. Entretanto, o turista que chega ao distrito quer mesmo é conhecer o Quilombo do Sapé, formado por descendentes de escravos libertos da Fazenda dos Martins. Sapé mantem viva as festas tradicionais de Congado, Folia de Reis, Guarda de Moçambique, Festa da Consciência Negra e a Festa de São Benedito; que são comuns aos povoados irmãos quilombolas de Rodrigues, Ribeirão e Marinhos.  Estes eventos são grandes atrações turísticas do município de Brumadinho. 

Também em Brumadinho fica situado o distrito de Piedade do Paraopeba, que é um dos povoados mais antigos de Minas Gerais e, que pela data da chegada dos bandeirantes, no ano de 1674, sabe-se hoje que este distrito é mais antigo que Ouro Preto, Mariana e todas as outras cidades históricas de Minas Gerais, com igreja pré-barroca do período missionário-jesuítico, inaugurada em 1713.

Devido a sua situação geográfica e a sua extensão territorial de 634 km2, Brumadinho tornou-se um oásis no meio da Região Metropolitana de Belo Horizonte, um refúgio da classe média nos finais de semana e feriados. Por isso, nos últimos anos, Brumadinho vem sendo redescoberto pelos turistas que procuram lazer, entretenimento, descanso, cultura; proporcionado pelos empreendimentos turísticos instalados, principalmente, ao pé da Serra da Moeda, mais precisamente nas localidades  de Casa Branca, Suzana, Palhano e Piedade do Paraopeba.

Ao pé da Serra da Moeda existe uma natureza que encanta. É lá que está o distrito de Piedade do Paraopeba, que por sua vez abriga os povoados localizados na encosta. Neste distrito ainda existem casarões coloniais de fachada ainda original e, também, a Igreja de Piedade do Paraopeba e uma capela de Nossa Senhora do Rosário; possivelmente originada da confraria de escravos que não podiam frequentar a igreja matriz. Mesmo tendo perdido suas características setecentistas, a capela ainda conserva os acessos e parte dos muros em pedra que a cercam. É ali que ocorrem, em outubro, os festejos do Reinado de Nossa Senhora do Rosário.
A religiosidade, tradição deste distrito, tornou-se um centro de romaria para devotos a Nossa Senhora da Piedade, através da Via das Sete Dores; evento implantado em 2010.

Certamente, no entorno de Piedade, encontram-se excelentes restaurantes que vão desde a cozinha mineira até a cozinha árabe. Também nos arredores de Piedade, o turista pode cavalgar, caminhar, voar de parapente e asa delta, praticar mountain bike e balonismo.

Casa Branca é um povoado muito procurado pelos turistas devido a sua área de hospitalidade turística. Este povoado que pertence a sede do município desde a década de 90, pois antes disso pertencia a Piedade do Paraopeba, guarda histórias e mistérios. No século XVIII esta região foi ocupada por contrabandistas de ouro que construíram uma casa de fundição de moedas falsas para fugir dos impostos cobrados por Portugal. As ruínas desta casa ficaram conhecidas pelo nome de “Forte de Brumadinho”, atraindo a curiosidade de turistas aventureiros.
Em Casa Branca existem pousadas aconchegantes e bons restaurantes. O povoado possui uma gastronomia simples e saborosa, entre bistrôs sofisticados, cafés, restaurantes com comida árabe, massas e comida mineira. Lá o turista pode fazer caminhadas, arvorismo, tomar banho de cachoeira e praticar mountain bike, pois o lugar propicia estas atividades. Além disso, a grande atração nacional de Casa Branca é o Festival Gourmet, realizado no mês de setembro.

Também em Brumadinho existem muitas festas temáticas de grande atração, como as realizadas no distrito de Aranha. Entre elas estão o Festival da Jabuticaba, que nasceu devido ao distrito ser um grande produtor da fruta. Hoje em dia artesões produzem derivados da jabuticaba que são comercializados e, o Festival é um canal de divulgação do produto. Também neste distrito é realizada a Festa da Mexerica Poncã, no povoado de Melo Franco, que é o maior produtor de Mexerica do Vale do Paraopeba e quiçá de Minas Gerais. Neste povoado também são produzidos derivados da fruta que são comercializados. A Festa é proporcionada com a finalidade de divulgar este produto da terra.

Enfim, todos os distritos e povoados de Brumadinho estão atualmente em desenvolvimento e sendo redescobertos para empreendimentos turísticos. Foi devido a beleza natural descoberta em Brumadinho que o Inhotim foi implantado em Conceição de Itaguá, que também é um povoado setecentista que possui resquícios de sua grandiosidade de outrora e, que mantêm viva uma natureza impar ao pé da Serra da Conquistinha.

Já o distrito sede de Brumadinho, emancipado em 1938, incorporando em seu território todos os distritos históricos, cresceu graças a construção de uma estação do Ramal do Paraopeba da Estrada de Ferro Central do Brasil. É na sede de Brumadinho que está situada a Casa de Cultura Carmita Passos, onde será realizada a 2ª edição do Varal Antológico.

Jacqueline Aisenman, escritora e poetisa brasileira radicada em Genebra, estará no Brasil entre final de maio e início de junho, e passará por Salvador (BA), Florianópolis(SC), Belo Horizonte e Brumadinho (MG).

Em Brumadinho a escritora estará no dia 1º de junho, na Casa da Cultura Carmita Passos, as 19h30, onde em conjunto com a Prefeitura Municipal de Brumadinho, lançará o Varal Antológico 2, com os coautores desta antologia: André Victtor, Cláudio de Almeida Hermínio, Clevane Pessoa, Flávia Menegaz, Irineu Baroni, Maria Alice Lima Ferreira, Vó Fia e Norália de Mello Castro; que por sua vez, é moradora de Brumadinho e será anfitriã deste evento.



Neste encontro cultural os escritores, coautores, familiares e convidados, terão oportunidade de descobrir o potencial turístico de Brumadinho, a começar pela âncora turística que é o Museu de Arte Contemporânea e Jardim Botânico Inhotim.

Este será um momento ímpar cultural de Brumadinho e, a Casa da Cultura, que já sediou lançamento de escritores da cidade, como os livros dos colunistas do jornal Circuito Notícias: Dante Angelelli, Francisco Lima e Arnaldo Rodrigues; abrirá suas portas para o mundo, propiciando entrosamento e oportunidade para escritores brasileiros, mineiros e brumadinhenses.

Com certeza, o lançamento do Varal Antológico 2 na Casa da Cultura,  será  um momento de redescobrimento de Brumadinho.



Texto de: Maria Carmen de Souza Silva – Bacharel em Comunicação Social, Relações Públicas; Licenciada em Letras; Pós-graduada em Língua Portuguesa; profissionalizada em Jornalismo; fundadora do jornal Circuito Notícias e Diretora de Jornalismo da Prefeitura Municipal de Brumadinho.

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...