mardi 29 novembre 2011

III CONCURSO DE POESIA POPULAR DA UBT-MARANGUAPE/2011

Promoção: UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES – UBT-MARANGUAPE
 REGULAMENTO

1) REQUESITOS:
Cordel, sextilha, septilha, décima, glosa, poesia em trovas, poesia em quadras, acróstico, trovas, haicais, poesia livre ou outro estilo de poesia, inéditos(as), que versem sobre um dos temas a seguir:
a)     Fatos pitorescos, interessantes ou hilariantes ocorridos no Município de Maranguape, sobre a fundação do município ou a história de Maranguape;

b)    Pessoas importantes, de destaque, populares, curiosas do município de Maranguape ou homenagem a maranguapense ou a família(s) de maranguapense(s), artistas, políticos, empresários, professores, poetas etc;

c)     Histórias ocorridas nos bairros, distritos, comunidades ou na cidade de Maranguape, inclusive de eventos no município, histórias ou poesias sobre bairros, distritos, localidades, entidades, órgãos, academias (ACLA-Academia de Ciências, Letras e Artes de Columinjuba), UBT-Maranguape (União Brasileira de Trovadores), festival do humor, empresas, associações, universidades/faculdades ou escolas do município de Maranguape;

d)    Histórias, ficção ou sobrenaturais, científicas, folclóricas, esportivas, futebolísticas, de rádio, ambiental, política, religiosa, desfile estudantil, teatro, trilhas na serra, causos em forma de poesia, poesia livre, que tenham menção/relação com o município de Maranguape;

e)     Cordel de tema livre ou outro estilo de poesia com tema livre (que não tenha relação/menção ao município de Maranguape) será aceito como participação especial.

2) LIMITES: No máximo um trabalho por concorrente, de livre escolha do estilo e tema, de qualquer local do país/exterior. O concurso é aberto aos simpatizantes de poesias, poetas/cordelistas e estudantes.

3) ENDEREÇO PARA REMESSA DOS TRABALHOS:
    Por e-mail para o endereço eletrônico: ubt.mpe@gmail.com
    Quando da remessa deverá ser indicado nome do autor, endereço completo e telefone.

4) PRAZO PARA REMESSA: Até 31 de dezembro de 2011.

5) CLASSIFICAÇÕES: 5 trabalhos vencedores [1º. a 5º.] / 5 Menções honrosas [6º. a 10º.] / 5 Menções especiais [11º a 15º.].

6) Prêmios: Troféu para o 1º. colocado geral e diploma para cada um dos classificados.
A premiação está prevista para o dia 11.03.2012, em local a ser confirmado, durante a comemoração do 8º aniversário da UBT-MARANGUAPE.
7) JULGAMENTO: A UBT-Maranguape formará a comissão julgadora do concurso.

Obs: Serão desclassificados os trabalhos postados após 31.12.2011. Pelas simples remessa do trabalho o(a) concorrente aceita as normas do presente regulamento e autoriza a publicação e divulgação do trabalho selecionado pela UBT-MARANGUAPE através de livros, informativos, na internet e no programa Brasil Trovador pela rádio FM Maranguape 106,3. Os trabalhos não serão devolvidos.

Maranguape, CE, em 18 de julho/2011.
Moreira Lopes / Presidente da UBT-MARANGUAPE e Coordenador do Concurso.

 Participe pelo e-mail: ubt.mpe@gmail.com

Lançamento de livro: Sayonara Salvioli

Lançamento do  novo livro de Sayonara Salvioli - Lauda eletrônica - narrativas agudas e crônicas.  

Dia: próxima quarta-feira, 30 de novembro

Hora: das 18 às 22 horas

Local: Espaço Multifoco - sede da editora Multifoco - Rua Mem de Sá, 126


O convite assinala o horário das 18h, mas este é apenas o início; na verdade, o coquetel de lançamento se estenderá das 18 às 22 horas, possibilitando maior margem de tempo para os convidados queridos flexibilizarem sua agenda e darem uma passada por lá.

A autora espera você com um autógrafo especial, claro!


ASTROLÁBIO

Poema do escritor Emanuel Medeiros Vieira
                                           Para Lucas, meu filho
                                          


                                         
                                           A bússola e o astrolábio:
                                           velas ao vento. 
                                           Existe outro Bojador nestes mapas interiores?
                                           Os navegadores estão no exílio:
                                           há faróis neste degredo?
                                           Findou a aventura no mundo.

                                           Singrando-me, cumpro-me.
                                           Além de mim, além da vida:
                                           do pó que serei.


                                           *Poema premiado em concurso nacional promovido  pela FUNARTE

Emanuel Medeiros Vieira nasceu em Florianópolis, SC, em 1945. Foi cineclubista, professor, crítico de cinema, editor, vendedor de livros, jornalista e funcionário público. É detentor de diversos prêmios literários nacionais. Tem 17 livros publicados. Sua obra foi elogiada e estudada por Carlos Drummond de Andrade, Otto Maria Carpeaux, Antônio Cândido, Mário Quintana, Caio Fernando Abreu, Antonio Olinto, Hélio Pólvora, Assis Basil, Ronaldo Cagiano, Leo Gilson Ribeiro, Paulo Leminski e muitos outros.

Despertar a dimensão xamânica

Leonardo Boff
Teólogo/Filósofo


A categoria sustentabilidade, tomada em seu sentido amplo e não apenas reduzida ao desenvolvimento, significa toda a ação que visa a manter os seres na existência porque tem  direito de coexistir conosco e só a partir desta convivência utilizamos com sobriedade e respeito uma porção deles para atender nossas necessidades e preservando-os também para as futuras gerações. Dentro deste conceito cabe também o universo. Sabemos hoje pela nova cosmologia que somos feitos de pó das estrelas e somos sustentados e atravessados pela inominável Energia de Fundo que tudo alimenta e que se desdobra nas quatro forças – a gravitacional, a eletromagnética, a nuclear fraca e forte – que, agindo sempre juntas, nos mantém assim como somos.  
Como seres conscientes e inteligentes temos o nosso lugar  e nossa função dentro do processo cosmogênico. Se  não somos o centro de tudo, seguramente, somos uma daquelas pontas avançadas pelas quais o universo se volta sobre si mesmo, vale dizer, se torna consciente. O princípio andrópico fraco nos concede dizer que para sermos o que somos,  todos as energias e processos da evolução se organizaram de forma tão articulada e sutil que permitiram o nosso surgimento, caso contrário não estaria aqui  escrevendo agora.
Através de nós, o universo e a  Terra se veem e se contemplam a si mesmos. A vista surgiu há 600 milhões de anos. Até lá a Terra era cega. O céu profundo e estrelado, as cataratas do Iguaçu, onde escrevo agora, o verdor das florestas, aqui ao lado, não podiam ser vistos. Pela nossa vista a Terra e o universo podem ver toda essa indescritível beleza.
Os povos originários,  dos andinos aos samis do Ártico, se sentiam unidos ao universo, como irmãos e irmãs das estrelas, formando uma grande família cósmica. Nós perdemos esse sentimento de mútua pertença. Sentiam que forças cósmicas equilibravam o curso de todos os seres e atuavam em sua interioridade. Viver consoante estas energias universais era levar uma  vida sustentável, serena  e cheia de sentido.
Sabemos pela física quântica  que a consciência e o mundo material estão conectados e a maneira que um cientista escolhe para fazer a sua observação, afeta o objeto observado. Observador e objeto observado se encontram indissoluvelmente ligados. Dai que a inclusão da consciência, nas teorias científicas e na própria realidade do cosmos, é um dado já assimilado por grande parte da comunidade científica. Formamos, efetivamente, um todo complexo e diversificado.
São conhecidas as figuras dos xamãs, tão presentes no mundo antigo e que hoje estão voltando com renovado vigor como o tem mostrado o físico quântico J. Drouot em se livro  O Xamã, o Físico e o Místico (Record 2002) que tive a honra de prefaciar. O xamã vive um estado de consciência singular que o faz  entrar em contato íntimo com  as energias cósmicas. Ele entende o chamados das montanhas, dos lagos, das florestas, dos animais e, das estrelas e dos outros. Sabe conduzir tais energias para curar e harmonizar o ser humano com o todo.
Em cada um de nós existe a dimensão xamânica, escondida dentro de nossa interioridade Essa energia xamânica nos faz silenciar diante da grandeza do mar, vibrar diante do olhar da pessoa amada e estremecer face a um recém nascido. Precisamos liberar esta dimensão em nós para entrarmos em sintonia com tudo o que nos cerca e sentirmo-nos em paz.
Talvez nossa vontade de viajar com as naves espaciais na direção do espaço cósmico, não seja  o desejo arquetípico de buscar nossas origens estelares e o ímpeto de regressar ao lugar de nosso nascimento? Vários astronautas expressaram semelhantes idéias.

Pertence à noção compreensiva de sustentabilidade, esta nossa busca incontida de equilíbrio com o todo e de sentirmo-nos parte do universo. A sustentabilidade comporta valorizar este capital humano e espiritual cujo efeito é produzir em nós respeito, sentido de sacralidade diante de todas as realidades, valores que alimentam a ecologia profunda e que nos ajudam  a respeitar e a viver em sintonia com a Mãe Terra. Hoje faz-se urgente essa atitude, para moderar a força destrutiva que nas últimas décadas tomou conta de nós.

(Texto recebido de Urda Alice Klueger)

 

AUTOR: IRINEU BARONI

Irineu Baroni fala de Irineu Baroni:

Sou descendente de italiano, Repórter Fotográfico e Poeta. Nasci numa fazenda em Vargem Linda, Minas Gerais - Brasil. Vivi alguns anos nesse ambiente, entre bois, cavalos e engenhos de cana de açúcar. Ainda jovem, mudei-me para Belo Horizonte, porém, as “coisas”, os “causos” e o “cheiro” do interior de Minas ainda andam comigo... A fotografia é uma aliada à minha “veia” poética, pois a considero a expressão da poesia em imagens...
Cadeira 16 da Real Academia de Letras (Ordem da Confraria dos Poetas – Brasil.
Publiquei meu primeiro Livro, POETISA, pela Editora Paco Editorial – SP, em Dezembro de 2010, além de varias publicações em diversas Antologias: Uma História No Seu Tempo, Elo de Palavras, Enigmas do Amor e Encontro Pontual (21ª. Bienal internacional do livro de São Paulo em 2010), (Editora Scortecci); Poetas En/Cena2, Poetas En/Cena3 e Poetas En/Cena4 (Belô Poético); Galeria Brasil 2009, Sonetos Eternos e Fronteiras, Realidade ou Ficção?, Agenda Literária 2011, (Editora Celeiro de Escritores), Poesias na Praça Sete, (Prefeitura Municipal de Belo Horizonte), Antologia Literária Internacional Del Secchi vol. XX (RJ), Revista Caderno Literário (BH), Varal Antológico, publicado por Jacqueline Bulos Aisenman (Suíça), Antologia Palavras sem Fronteiras (Buenos Aires) e Antologia da Real Academia de Letras (Porto Alegre).
Participei do Festival Internacional de Poesias (ABPEIS) com poemas classificados para a Antologia do Festival e do projeto “Poesia na Praça Sete”, em Belo Horizonte; recebi Menção Honrosa com a poesia Recortes da Vida no Belô Poético em 2009 e primeiro lugar com a poesia Santo Dinheiro no Belô poético em julho de 2010.
SOBRE LIVRO POETISA


Onde está a poesia? Vivemos uma era em que podemos ver claramente o “esfriar” do amor, da doaçao, da valorização do outro. O egoísmo impera neste mundo onde a poesia agoniza e os valores se esvaem numa sociedade capitalista e egocêntrica que infelizmente, mudou o seu foco e pensa que o mais importante e “ter” e não “ser” alguém para o outro.
Lendo esta obra pude ver o despertar de sentimentos em desuso nos dias atuais... Ela me faz pensar que o amor, a poesia e a fé não saíram de moda, mas a cada dia são mais atuais e pertinentes à sensibilidade humana.
As poesias aqui escritas mostram a necessidade de voltarmos “para dentro” e entender nossas limitações. Em Às Vezes, o poeta, com propriedade, traduz as incertezas e ansiedades de todo ser humano e mostra nossa inconstância diante dos papéis que vivemos,  percebendo a necessidade do encontro com o “eu”...  Em Poetisa percebemos a beleza do encontro com o “Outro“ em uma linda e metafórica mostra do ser mulher...
A poética contida neste livro tem o potencial de despertar sentimentos de amor, carinho, amizade e sensualidade, sem apelação, aflorando o desejo de “ser” alguém “para alguém“ no sentido completo da palavra e tambem de ser melhor para o planeta, para o próximo e para a família, em busca de Deus que completa tudo em nós...
Ao Leitor, faço o convite: leia e se encante com este belissimo trabalho de Irineu Baroni.

Janice Baciliere - Poetisa

Na Europa? Encontre Poetisa na Livraria Varal do Brasil, de Genebra: www.livrariavaral.com

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...